A Busca - Resenha

0 Comentários A+ a-

Oi Povo, tudo bem?
Hoje vamos falar sobre “A Busca” livro que foi cedido pela editora bvbooks no evento da Aliança de Blogueiros do Rio de Janeiro. Quando a Viviane, responsável da editora comentou sobre esse livro na hora fiquei curiosa, afinal queria saber o que acontece no final da história!! Rsrsrs

Emma Seeger, mora em Oxford, Ohio, em cima da barbearia de um amigo. Sua vida não é nada parecida com a que sonhou, afinal apesar de ter dois empregos ela ainda teve que trancar a faculdade. Seu primeiro emprego é tomar conta de dois irmãos gêmeos de três anos de idade e seu segundo é numa cafeteria local. Emma trabalha para se sustentar e tentar pagar seu estudos desde que seu pai se casou novamente. Eles eram super unidos, pois sua mãe morreu quando ela era bem pequena. Emma já estava no segundo ano da faculdade quando seu pai se apaixonou, ele foi pessoalmente contar a filha e pensou que ela ficaria feliz com a notícia.

Daniel conta que Katya é escritora e que já lançou mais de uma dezena de livros, mas que ela é uma escritora cristã e que o apresentou a Deus. Emma, se sente traída e abandonada, afinal seu pai há criou sem religião e sozinho, nunca preciso de Deus e de ninguém entre eles. Pouco tempo depois de casado Daniel, avisa para Emma que está se mudando para Israel para trabalhar como missionário. Depois disso ela se sente ainda mais abandonada, com isso acabou se afastando do pai e ignorando completamente sua madrasta, mesmo ela tentando lhe agradar o tempo todo.

Depois de alguns meses Katya liga para Emma com uma notícia nada legal, seu pai Daniel está desaparecido a dois dias. O problema é que a menina não atende a ligação dela, ela nem mesmo sabe como dá aquela notícia. Mas no terceiro dia ela consegue falar com a menina e conta o que aconteceu.

“Seu pai está desaparecido”, ela respondeu. “Não tenho contato com ele há três dias. Ele saiu segunda-feira para ir a uma nova comunidade na qual estamos trabalhando e não voltou para casa.” Pág: 22

Emma fica desesperada com a notícia e toma a decisão de ir para Israel, mas só consegue comprar a passagem com a ajuda de seu amigo Artie. Ele é um dos meus personagens favoritos desse livro, apesar de aparecer pouco no livro é um amigo incrível. Ela pede demissão dos empregos e vai para Israel para tentar achar alguma pista do seu pai, nesse meio tempo aprende a orar para aliviar seu sofrimento, mas ainda assim continua sem acreditar em Deus. Durante a viagem ela conhece um rapaz chamado Travis, ambos conversam muito e assim a viagem acaba passando mais rápido.

Quando chega Emma é obrigada a conviver com sua madrasta, afinal é única pessoa que conhece no país. No decorrer do livro, ela descobre que Katya é completamente diferente da pessoa da que imaginava. Elas correm juntas atrás de pista que levem a Daniel, será que ela vão encontrar algo? Não posso contar mais que isso porque soltar spoiler é feio!! Rsrs

Durante o decorrer da história acompanhamos Emma se aproximar cada vez mais de Deus e com a ajuda de Katya começar a entender a bíblia e conhecer os lugares históricos de Israel. Não indico o livro para quem não é Evangélico ou no máximo católico, pois a leitura não irá agradar. Uma coisa que achei interessante é que acabamos conhecendo um pouco da cultura local e isso achei um ponto positivo na leitura. Um exemplo é de quando elas vão na loja comprar um celular o vendedor começa a “gritar” e Emma não entende nadinha. Katya explica:

"Tudo faz parte do jogo.Quanto mais difícil o cliente, melhor ele se sente com a venda”. Pág: 125. 

Avaliação:

Ficha Técnica
Título: A Busca
Autor(a): Sean McDowell e Bob Hostetler
Editora: BvBooks
Páginas: 328

Eu sou a Iris, não sou a deusa greco/romana das mensagens, mas bem que eu gostaria! Sou pós-graduada em Análise de Sistemas. Adoro minha profissão e tudo que é relacionado a tecnologia, mas meus grandes amores são meus livros e meu super cão Bethoven - O Magnífico. Acho, sinceramente, que a vida não teria graça sem livros. Afinal, viver uma só vida não me bastaria. Não posso esquecer de dizer que adoro uma boa conversa, principalmente se tiver livros no assunto.