Oi Povo, tudo bem?
Hoje vamos falar de “Volúpia de Veludo”, o terceiro livro da série “As Modistas”, da diva Lorreta Chase. Sou simplesmente apaixonada por essa série, as irmãs Noirot são terríveis!! Hahaha

Quer conhecer um pouco mais a série? Sedução da Seda e Escândalo de Cetim.

Leonie Noirot agora tem a responsabilidade de tocar o ateliê Maison Noirot, depois que sua irmãs casaram. Marcelline agora está grávida do Duque de Clevedon e vive enjoada, sem falar que sendo uma duquesa, não pode se envolver tão diretamente com os negócios. Sua irmã Sophia teve que sair da cidade com o conde Longmore, para tentar abafar o escândalo da última temporada, e mesmo quando ela voltar não poderá assumir seu cargo 100%, por ser uma condessa. São esses motivos que fazem Leoni se sentir tão sozinha, mas como toda boa Noroit, ela não desiste de seus negócios.

“Isso deixou Leonie sozinha. Ela era capaz de fazer o que as irmãs faziam, mas não com a mesma habilidade e brilho. Cada uma das irmãs tinha seu talento especial e Leonie sentia enorme falta deles.” Pág: 38.
Simon Blair, marquês de Lisburne que acaba de voltar  para Londres com o objetivo de fazer companhia ao seu primo Lorde Swanton, que está vivendo uma fase de “super autor”, afinal seu livro de poesia está vendendo mais que água. Simon não se sente nada feliz por ter voltado, mas como seu primo sonhador sobreviveria sem ele?

Leoni vai visitar a galeria Pall Mall para tentar conseguir novas clientes, afinal toda a mocinhas de Londres estão atrás do autor do momento, Lorde Swanton. Olhando a exposição, o quadro que a atrai é o de Botticeli, ela fica uns bons minutos encarando a obra e é nesse momento que ela conhece Simon, o dono do quadro. A atração entre ambos é automática, mas isso não significa que tudo irá correr de acordo com as vontades do marquês de Lisburne.

“Ela se sentiu tentada a continuar ali e flertar. Ele era muito tentador. Além de ser um homem lindo, era nobre e tinha um quadro que, popular ou não, sem dúvida era de um valor inestimável.” Pág: 13.
Simon fica encantado com Leoni, mas ela só quer saber de conquistar o coração da terrível Gladys Fairfax e finalmente vesti-la adequadamente. Gladys já havia sido citada no livro anterior, mas ainda não conheciamos a personalidade verdadeira dela, e pelos olhos atentos de Leonie conseguimos enxergar uma mulher “linda” debaixo daquela roupa horrorosa que ela veste.

Ao contrário dos livros anteriores, neste quase não vemos a interação entre as irmãs (por motivos citados acima) e isso me deixou com uma pontinha de saudades!! Rsrs. Agora imaginem como ficarei órfã, quando a série terminar!! Rsrs. Antes de encerrar preciso comentar: Lorreta sempre manda bem com os personagens secundários, mas nesse livro eles estão incríveis, amei o sensível Lorde Swanton. A leitura tem um ritmo maravilhoso, nos faz rir e suspirar em muitos momentos.
    Avaliação:
    Ficha Técnica
    Título:Volúpia de Veludo
    Autor: Loretta Chase 
    Série: As Modistas #03
    Editora: Arqueiro
    Páginas: 320
    Olá galera! Recentemente eu trouxe para vocês a resenha de Eleanor & Park da Rainbow Rowell, uma autora que virou minha queridinha! Com uma escrita cativante, essa mulher ganha minha atenção até se resolver publicar sua lista de compras. Não vou mentir, o livro Ligações não me cativou tanto, mas ainda sim ela conseguiu prender minha atenção até o fim. Mas sobre esse eu posso falar futuramente, pois hoje trarei para vocês a resenha de Fangirl, que para mim é o livro mais fofo da Rainbow. Impossível conhecer Levi e não vomitar arco-íris, ficou curioso? Então conheça um pouco dessa fofura!

    Cath sempre esteve acostumada a ter sua irmã gêmea ao seu lado, mas agora que chegaram na faculdade, Wren quer explorar suas possibilidades e ter experiências que esse novo mundo pode dar. Já Cath que a princípio não gosta tanto assim desse mundo, não quer sair do quarto, exceto quando for extremamente necessário. Então nossa protagonista começa se sentir um pouco rejeitada por sua irmã e ainda mais solitária.  

    Eu achei a Cath bem chatinha, na verdade. Tem horas que ela me irrita tanto! Mas avançando o livro eu fui compreendendo um pouco mais a personagem e até achei nela um pouco de mim.

    - Não preciso de gente nova.- Isso mostra exatamente que você precisa de gente nova… - Wren segurou as mãos de Cath. - Cath, pensa só. Se ficarmos juntas, as pessoas vão nos tratar como se fôssemos uma só. Precisaremos de uns quatro anos até que alguém saiba diferenciar uma da outra.

    Cath é absolutamente apaixonada por Simon Snow, uma série de livros e filmes que é basicamente igual a Harry Potter do nosso mundo. Encantada pela história, Cath escreve uma fanfic super famosa intitulada Carry On

    Sempre no final de cada capítulo do livro, há um pouco dessa fanfic escrita por Cath, que particularmente, eu achei a parte mais chata. Talvez Carry On - Ascensão e Queda de Simon Snow, que foi lançado ano passado, surpreenda e me faça ter um novo olhar para essa história/fanfic, mas aqui no Fangirl eu achei bem chatinha. Mas isso não atrapalha na história do livro, se não quiser ler a fanfic de Cath, é só pular que não altera em nada na narrativa. 

    Por que eu escrevo? Cath tentou descolar uma resposta profunda - sabendo que não a diria em voz alta, ainda que a encontrasse. Para explorar novos mundos - alguém dissePara explorar os antigos - outra pessoa acrescentou. A professora concordava.Para poder ser outra pessoa, Cath pensou. Então… - ronronou Piper. - Talvez para que as coisas façam sentido para nós?Para nos libertarmos - disse uma menina.Pra nos libertarmos de nós mesmos. 

    Logo no início somos apresentados a Reagan, a durona colega de quarto de Cath  e seu extremamente simpático namorado Levi. Já aviso que você corre grande risco de se apaixonar por ele! 

    Levi se mostra curioso pelo jeito de Cath e fica sempre incentivando a mesma a sair de sua zona de conforto. Já Cath, se sente incomodada por Levi estar sempre em seu quarto e por ele ser tão “entrão” assim. Aos poucos a amizade deles vai evoluindo e um vai influenciando e incentivando o outro. 

    Sempre me perco na biblioteca - disse ele -, não importa quantas vezes eu vá. Na verdade, acho que me perco lá mais quanto mais eu vou. Como se ela fosse me conhecendo e revelando mais passagens.Você passa muito tempo na biblioteca?Passo, sim.Como isso é possível, já que você vive no meu quarto?Onde você acha que eu durmo? - perguntou ele. Quando ela o fitou, ele estava rindo.


    Não posso falar mais do que isto sobra a narrativa, para não estragar a experiência, mas espero que tenha conseguido despertar a curiosidade de vocês.

    Fangirl é um livro sobre amadurecimento do início da vida adulta, mas que abrange todas as idades! É sobre relação familiar, sobre crescimento não só pessoal como profissional. É um livro que incentiva a sair zona de conforto para buscar os nossos sonhos. Enfim, é um livro com um romance fofo, mas que também traz lições importantes para o leitor. Meu preferido continua sendo Eleanor & Park, mas Fangirl me conquistou e ganhou uma posição na lista dos livros mais fofos da vida! 

    Avaliação:                                                                                                                                                                                                                                                              FichaTécnica

    Título: Fangirl
    Autor: Rainbow Rowell
    Editora: Novo Século



    Olá galera,

    Venho trazer mais uma dica do Netflix para vocês. O filme Black or White, podem achar como Preto ou Branco na busca, apesar de a primeira vista parecer mais uma ficção cinematográfica, baseada em fatos reais, sobre preconceito racial ou até mesmo social, ele é bem mais do que isso e me surpreendeu de maneira positiva. Geralmente vemos um vilão, ora o Branco racista querendo humilhar ou se fazer de superior, ora vemos um negro utilizar de sua cor para prejudicar outro, contudo, Black or White trás algo novo e magnífico na minha humilde opinião, um filme sobre amor, força e principalmente valores, sem heróis ou vilões, apenas pessoas, com seus defeitos e qualidades, erros e acertos.

    Sinopse:
    O advogado Elliot Anderson (Kevin Costner) acaba de perder sua esposa em um acidente de carro. Os dois criavam, juntos, a neta Eloise (Jillian Estell), já que a mãe da menina morreu no parto. Enquanto luta com sua dor, ele recebe a visita inesperada da avó paterna da garota, Rowena (Octavia Spencer), que exige que a neta seja criada pelo pai, Reggie (Andre Holland), um viciado em drogas, cuja negligência faz Elliot culpá-lo pela morte de sua filha. Agora, os avôs de Eloise vão entrar em uma luta pela guarda dela.

    O pai de Eloise nunca esteve presente e a mãe da menina morreu no parto, por isso acabou sendo criada pelos avós maternos, que mantinham uma boa convivência com Rowena, a avó paterna. É quando a avó materna morre que começam os problemas, pois o avô deprimido acaba bebendo mais do que deveria. Lendo a sinopse parece um caso simples, pai viciado, avô do bem, fim da história. Mas o fato da família pelo lado paterno de Eloise ser negra faria com que a coisa ganhasse um novo viés e virasse uma batalha racial, questão sempre muito polêmica, no entanto, não é exatamente isso que ocorre, apesar da tentativa de inserir preconceito na ação, vemos na verdade um avô abusando da bebida para aliviar a dor de perder a esposa, assim como uma avó que acredita poder cuidar melhor da menina, e tem esperanças de “salvar” o filho viciado dele mesmo, e no meio disso tudo uma menina que quer conhecer o pai, e que tem a benção de ter pessoas que a amam de verdade a ponto de não deixar suas diferenças transparecer para ela.

    Para mim foi um filme lindo e reflexivo, foi lindo ver o avó lutando contra que trata de um tema sensível como a guarda de uma criança, além do terreno minado que é retratar a questão racial, e Black or White faz isso de forma linda e ainda conta com uma dose de humor da melhor juíza que já vi, e do professor particular com um coração de ouro.



    Título: Black or White
    Ano: 2014
    Classificação: 13 anos
    Duração: 2h 06min
    Elenco: Kevin Costner, Octavia Spencer, Jillian Estell, Anthony Mackie e mais
    Direção: Mike Blinder
    Gênero: Drama


    Oi Povo, tudo bem?
    Hoje vamos falar de “Protegida” o último livro da série “Provocante”, da nossa autora parceira, Paola Scott. Quando terminei de ler, postei uma foto com a minha cara de choro!! Rsrs Me apaixonei perdidamente pelos personagens da série e não imaginava que a despedida seria tão dolorosa!! Isso sem falar que esse livro mostra o quanto Paola amadureceu como escritora, ela conseguiu criar um conto de fadas super atual e com uma grande pitada de drama. Já tinha comentando que amo o fato dos personagens serem muito próximo da realidade, mas Júlio e Alana (casal protagonista) poderiam ser qualquer um nas casas dos vintes anos com as incertezas que surgem com o grande amor. Nem preciso dizer que o livro entrou para minha lista de favoritos, né? Rsrs

    Conheça os livros anteriores: Provocante V1Provocante V2OusadaAdormecida e Determinada.

    Alana sempre apareceu nos livros anteriores da série, por ser filha da Paola, personagem principal dos dois primeiros volumes(Provocante V1 e V2). Com isso acompanhamos ela saindo da adolescência e se tornando uma grande mulher. Alana sempre foi protegida por seu pai Guilherme, seu padrasto Pedro e por Eduardo que ajudou a criá-la e quem ela chama de paizinho com muito carinho. Imaginem como é a vida de uma menina com três pais? Rsrs Realmente ela é tratada igual a uma boneca de porcelana!! Só que agora, com 18 anos, já não acha tão fofo tanta proteção, afinal ela é super responsável com o estágio e a faculdade. O que mais curto em Alana é que apesar de ter tudo para ser super mimada, ela é uma menina normal e muito madura para sua idade. Ela ganhou meu coração por suas atitudes e entrou para galeria de mocinhas que torci muito para que tudo ficasse bem.

    “Ah, eu estava tão cansada! Desse excesso, desses muitos olhos vigiando todos os meus gestos, analisando minha vida, tentando decidir por mim. Só queria um pouco de distância, respirar com calma, sozinha. De poder ter voz e dizer o que realmente queria e faria. Ao mesmo tempo não queria magoar aquelas pessoas.”

    Júlio também apareceu nos livros anteriores, mas em “Determinada” ele acaba ganhando um papel um pouco maior por ser irmão de Augusto. Ele tem 27 anos é lindo, responsável e caseiro, resumindo o sonho de consumo de todas as mulheres. O grande problema é achar uma mulher que ele quisesse por mais de uma noite, afinal a maioria das mulheres que ele ficou não tinha nada na cabeça e com responsabilidade zero. Júlio já está cansado desse tipinho, ele sonha em ter um casamento igual a dos seus pais, com muito amor, respeito e companheirismo.

    Quando Júlio é apresentando a Alana num almoço de família, logo fica atraído pela linda menina, mas o fato dela ter acabado de completar 19 anos não é muito animador. Mas, ao trabalhar com ela em um projeto na construtora  em que ele é diretor, logo percebe que Alana não é só um rostinho bonito. Com isso ele resolve tentar conhecê-la melhor, mas para isso terá que conseguir que passar pela trinca de pais.

    É assim que começa o conto de fadas desse casal lindo, não posso contar mais nada porque não quero estragar as surpresas que a autora colocou durante o livro. Preciso comentar que  durante a leitura temos uma parte muito tensa e outra super emocionante, que nos faz refletir sobre a vida e sobre o tempo que dedicamos aqueles que realmente amamos. Com isso posso falar com toda a certeza que Paola fechou a série com chave de ouro. Pequeno adendo, temos um capítulo bônus protagonizado por Pedro e Paola que é um verdadeiro presente para quem é fã da série.

    “Não precisa ser perfeito. Basta ser verdadeiro e me fazer feliz.”
      Avaliação:
      Ficha Técnica
      Título: Protegida
      Autor: Paola Scott
      Série: Provocante #05
      Páginas: 404

      Hey, galerinha! Eu prometi que voltaria para aclamar novamente a Trilogia dos Espinhos, e aqui estou para falar com vocês sobre o segundo volume: "King Of Thorns". Lembra daquele príncipe irritante, violento, sem moral, frio, insano, cheio de ódio e tudo mais? Então, agora ele é rei!

      Sim, Jorg se tornou rei, mas continua com praticamente as mesmas características de antes. O príncipe ainda é enraizado em Jorg, acontece que agora o personagem está um tanto mais problemático e confuso, porque precisa começar a lidar com o processo de amadurecimento, onde a gente consegue perceber alguns traços diferentes da criança que conhecemos no primeiro livro. Pode não parecer muito importante, mas os pensamentos um pouco mais maduros fará muita diferença, principalmente em alguns momentos de tomadas de decisão do personagem.

      A narrativa vai contar sobre um rei Jorg que não está muito satisfeito com seu reinado e ainda por cima, enfrentará alguns problemas maiores — príncipes com dilemas de príncipes, reis com dilemas de reis — em que precisará contar com a ajuda de personagens que conhecemos lá no primeiro volume, para acompanhá-lo em mais uma jornada, enfrentando muitas criaturas do reino da fantasia que já estamos acostumados. Mas, eu volto a repetir, não fica nada clichê! Porque Jorg não é um personagem nada clichê e Mark Lawrence sabe escrever muito bem!
      Novamente teremos a alternância entre passado e presente, mas tudo encaixado no "tempo/espaço" da série com a maestria de Mark Lawrence. Os detalhes também continuam muito bem trabalhados e mais uma vez teremos a sensação de que dimensões de eras diferentes se fundem e que muitas analogias fazem referência ao nosso mundo atual.

      Eu encontrei muita gente falando mal da escrita do Mark e proclamando que a história não é boa. Mas como essa trilogia mora no meu coração, eu comprei essa briga e fui atrás de provas. Bom, não se preocupem, eu estou certo em levantar a bandeira do senhor dos espinhos. Os haters da série na verdade só não vão com a cara do autor e se acham o último biscoito do pacote por ler fantasias internacionais mais conservadoras, onde defendem os elementos padrões e realistas do mundo da história.
      Porém é exatamente nisso que Mark se destaca. Seus elementos não são exagerados e não seguem uma linha de rotina de todos os demais livros de fantasia, porém ele costura tudo muito bem e em nenhum momento o universo deixa de ser crível. É muito interessante ver vários elementos misturados, dando forma a uma história muito coerente.
      Nada comprovado sobre a falta de qualidade de Mark Lawrence, tampouco de suas narrativas. Provas maiores disso são as avaliações do Skoob, onde todos os volumes estão com avaliação acima de quatro estrelas, e esse segundo volume com 4.5! Se isso é nota pra um livro ruim, então eu não sei o que é um livro bom.

      Prince Of Thorns me agradou muito, mas acredito que esse livro conseguiu atingir um nível mais elevado de profundidade na história e na continuidade da cronologia, além de deixar algumas coisas bem mais claras e definidas do "mundo" da narrativa, ganhando de vez o leitor.
      Para quem gostou do primeiro livro, é certo que irá amar ainda mais este e eu deixo a dica de já garantir o terceiro e último, porque você vai precisar e eu voltarei aqui para falar sobre ele, em breve.

      Avaliação:

      Ficha Técnica
      Título: King Of Thorns
      Autor: Mark Lawrence
      Editora: DarkSide
      Páginas: 532
      Oi Povo, tudo bem??

      Hoje vamos falar de “Como parar o tempo” lançado pela editora HarperCollins. Antes de começar a resenha preciso comentar sobre a capa, gente, é fofa, super delicada e a cara do livro!!! Fiquei simplesmente encantada.

      Tom Hazard aparenta ter uns 40 anos anos, mas ele não é um homem comum. Por trás dele existe um grande mistério. Como o decorrer do livro descobrimos que na verdade, Tom tem mais de 400 anos e que não faz a menor ideia de como isso foi acontecer. Os capítulos são intercalados entre o passado e o presente, dessa maneira vamos desvendando quem ele é realmente.
      “Seres humanos, como regra, simplesmente não aceitam coisas que não se encaixam em sua visão de mundo. Então, é possível dizer “eu tenho 430 anos de idade”, mas a reação seria, em geral, “você é louco?”. “Ou talvez prefira morrer”.” Pág:13.

      Atualmente, ele vive como um professor de história, numa escola secundária em Londres. Ele está cansado da vida tentando encontrar motivos de tentar continuar, o problema é que esconder sua identidade genuína das pessoas é um suplício. Mas, se alguém descobrir sua verdadeira idade, ele irá correr um grande risco. Seu amigo Hendrich, lhe ensinou que se ele mudasse de identidade a cada oito anos e nunca se apaixonasse, Tom viveria seguro e teria uma vida plena. Ele pode se apegar a comidas, bebidas e a músicas, mas o grande segredo era nunca se apegar demais aos humanos normais, afinal eles morrem cedo.

      No passado, descobrimos que quando Tom fez 11 anos simplesmente parou de envelhecer na velocidade de uma pessoa normal. Naquela época viver assim era ainda mais perigoso, pois logo as pessoas da vila desconfiavam de bruxaria. Por esse motivo, ele e sua mãe fugiram da França para Londres e como o passar do tempo teriam que fugir de novo para outro país. O relacionamento dele com a mãe é lindo. Só que como a vida é super cruel, um acontecimento que não posso contar o faz encarar a vida sozinho.

      “Você precisa ser forte. Você é forte, como seu pai era. Quero que me prometa: Você precisa se manter vivo. Aconteça o que acontecer. Você precisa viver. Está entendendo? Você é especial. Deus o fez assim para um propósito.” Pág: 71.

      Logo depois, ele conhece Rose, a grande mulher de sua vida que lhe apoiou num dos momentos mais complicados de sua jornada. Tom, na época, aparentava 16 anos, no máximo, mas sua idade verdadeira já passava de 18. Como já devem imaginar o relacionamento deles não foi nada fácil. Afinal, ela envelhecia e ele continuou jovem. Em pouco tempo ela aparentava ser a mãe dele, logo levantando suspeita. 

      Se eu entrar em maiores detalhes irei acabar contado o que não devo. Tenho que dizer que a leitura é super envolvente, em alguns momentos bem lenta, mas não deixando de ser emocionante e deixando o leitor cada vez mais curioso. Tiveram alguns momentos que li com os olhos cheios de lágrimas porque era praticamente impossível não se emocionar. “Como parar o tempo” nos ensina a respeitar o tempo e amar enquanto temos tempo. Isso sem falar nas lições de amizade e coragem para encontrar forças onde nem mesmo sabíamos que existia.

      Avaliação:
      Ficha Técnica
      Título: Como Parar o Tempo
      Autor: Matt Haig
      Editora: HarperCollins Brasil
      Páginas: 320
      author
      Se você: Cheira livros, se apaixona por personagens, sofre com eles como se fosse alguém da sua família, corre atrás de autógrafos, viaja para outro estado para participar da Bienal do Livro, adora um sebo, procura por eventos literários, entra na livraria para dar um livro de presente e sai com dois para você, então você está no lugar certo!