Oi Povo, tudo bem?
Na nossa resenha de hoje será do livro “Determinada”, quarto da série “Provocante”, da autora Paola Scott. Esse livro me surpreendeu bastante, pois ele tem um lado leve, diferente dos anteriores da série.

Conheça os livros anteriores: Provocante V1, Provocante V2, Ousada e Adormecida.

Pietra é integrante do “Insanas”, um grupo de leitura em que Paola, Maitê e Luciana participam. Por ser amiga das outras meninas, ela já havia aparecido nos livros anteriores. Porém, sabiamos pouco sobre sua vida, só tínhamos certeza que Pietra era delegada no Rio de Janeiro e que tinha uma personalidade fortíssima.

Logo no início do livro conhecemos uma Pietra adolescente que teve uma vida muito sofrida. Seu pai morreu quando ela tinha apenas quatorze anos, deixando sua mãe com quatro filhos para criar. Ela sendo a filha mais velha, teve que começar a trabalhar e cuidar dos seus irmãos mais novos. Apesar de todos os problemas corridos, Pietra conseguiu vencer na vida e virou uma delegada super responsável e dona da própria vida.

“Meu interesse e empenho foram reconhecidos e junto com um bom estágio remunerado, consegui uma bolsa de estudos. Ali as coisas começaram a melhorar e eu enxergava um futuro decente, tanto para mim quanto para minha família. Batalhei, me esforcei e venci.”

Do outro lado da história conhecemos Augusto, que deu a sorte de nascer em uma linda e rica família. Ele nunca passou por nenhuma necessidade financeira e nunca foi obrigado a trabalhar com o que não gosta, tanto que ele desistiu de trabalhar na empresa do pai e fundou sua própria empresa de TI. Ele abriu uma filial no Rio de Janeiro e com isso teve que morar longe de seus pais e aprender a se virar.

Ele e Pietra se conheceram numa festa fantasia dada pela empresa de Eduardo e Paola, e esse primeiro encontro foi o suficiente para um odiar o outro. Mas, o amor o ódio andam juntos né? Rsrsrs Augusto é intimado a prestar depoimento em uma delegacia no Rio de Janeiro e o destino resolve pregar uma peça nele, pois a delegada responsável pelo caso é ninguém menos que Pietra.

“Seu olhar sustentava o meu de forma provocadora, me incitando a seguir em frente naquele assunto. Ele jogava alto, não recuava.”

A partir daí os dois iniciam um relacionamento meio conturbado e começamos a nos divertir. Augusto é totalmente sem filtro, falando tanta besteira que parece uma adolescente sem noção em alguns momentos!! Rsrs. Pietra continua durona, mas com o decorrer da história vai mostrando um lado sensível.

Como já falei anteriormente “Determinada” tem um enredo mais leve e achei que foi uma grande sacada de Paola porque “Adormecida” (o livro anterior da série) é lindo, mas é extremamente tenso. “Determinada” faz o leitor conhecer esse lado novo da autora e é uma leitura perfeita para curar uma ressaca literária. Ahh mais uma vez vemos a interação dos outros personagens da série, matando assim a nossa saudade. Confesso que estou com um aperto no coração em saber que estou chegando no último!! Rsrs.
    Avaliação:
    Ficha Técnica
    Título: Determinada
    Autor: Paola Scott
    Série: Provocante #04
    Páginas: 354

    Hey, pessoal, olha eu aqui novamente! Fiz uma postagem no final da semana passada, mas já voltei porque acabei de descobrir que ainda não falei sobre "Artemis Fowl" por aqui! Como assim, eu ainda não vim aclamar esse livro que tem tudo a ver com o blog e com o #IAmNotAFairy?! Me acompanhem para descobrir.

    O Menino Prodígio do Crime” é o primeiro volume das aventuras de Artemis, e que eu conheci por indicação de um amigo do trabalho. Pena que eu só fui saber que a série existia, treze anos após o lançamento do primeiro título.
    Eu tenho certeza que você conhece os famosos contos de fada, certo? Então, agora imagine as criaturas desses contos. Fadas — por isso tudo a ver com o blog —, duendes, anões, elfos e mais outros seres desse tipo. Imaginou? Ótimo, porque é agora que Eoin Colfer lança sua magia e pega isso tudo que você conhece e rabisca, rasga, joga no chão e pisa em cima. Pronto, depois de desconstruir bastante o mundo dos contos de fada, Colfer mostra para o leitor o que ele pensa acerca dessas criaturinhas — nada fofas! Hahaha.

    Não bastasse os seres modificados que deixam qualquer um — no mínimo — curioso, Eoin cativa o leitor com um protagonista nada dentro dos padrões.
    Tá bem, é até fácil conseguir imaginar um criminoso calculista, inteligentíssimo, que consiga criar planos mirabolantes e que tenha um guarda costas fiel como cúmplice. Também é possível imaginar livremente que esse criminoso queira e tente roubar o povo mágico, certo? Mas o que a gente normalmente não imagina é quando esse gênio seja “só” um menino de doze anos! Sim, Artemis é um “garotinho” e está em busca de dinheiro para reerguer a reputação dos Fowl, diante de um acontecido que é o grande motivo para levar a trama da série e eu não vou contar aqui, hahaha. Por isso nosso prodígio vai se meter com as fadas para tentar roubar seus tesouros.
    Mas tem uma coisa eu posso dizer! Vai ter muita ação envolvida e principalmente batalhas de inteligência. Confusão entre a corporação policial das fadas — que é osso duro de roer! — e o mundo dos humanos. É uma interação que eu juro que nunca havia encontrado em outras páginas.

    Colfer não só consegue a atenção do leitor devido às alterações das ideias comuns sobre criaturas e lendas (até o pote de ouro no final do arco-íris é diferente e me deixou intrigado), mas ele também ganha muitos pontos por despertar a curiosidade sobre qual será o plano final de Artemis, carregando o leitor na expectativa e na tentativa de prever as cenas finais da história. Além disso, ele muda o padrão de local comumente encontrado nas narrativas, levando a trama lá para a Irlanda — mais uma vez tudo a ver com o blog e com a coluna <3

    O primeiro livro não é grande e a leitura é tranquila, bem simples e leve, podendo ser lida por um adulto ou por uma criança. O final é bem interessante e deixa a ideia principal para decorrer durante os próximos livros.
    Sempre com divertimento garantido durante as páginas, marcando presença com aquela vontade de acompanhar toda a série — que super vale a pena e que eu voltarei a falar dela por aqui.

    Avaliação:

    Ficha Técnica
    Título: Artemis Fowl - O Menino Prodígio do Crime
    Autor: Eoin Colfer
    Editora: Record
    Páginas: 286

    Hey, galerinha! Hoje eu vim falar de outro planeta. É claro que, como leitores, estamos sempre viajando por outros mundos, mas hoje vamos conhecer um pouco mais sobre Krypton. Isso mesmo, o planeta natal de um dos heróis mais queridinhos das HQs! Ah, mas não se engane pela capa — talvez pensando que o livro venha falar do Superman — pois a narrativa é sobre os antecessores do cueca-sobre-as-calças, e os últimos dias do planeta do Sol Vermelho.

    Eu tive um tempo obscuro, onde o meu amor pelo Superman não existia, então acabei demorando a tirar Os Últimos Dias de Krypton da estante. Mas ainda bem que Zack Snyder já colocou isso no passado!
    Para quem não gosta do Superman ou da temática de personagens de HQs, a leitura pode parecer um tanto chata e lenta durante as primeiras 50 páginas. Recheado com muita genealogia das famílias kryptonianas, cheias de nomes nada comuns, sempre utilizando sufixos que me fizeram voltar as páginas várias vezes, para conseguir lembrar quem é quem. Porém eu deixo a dica: não se preocupe com isso. Não precisa ficar voltando pra tentar lembrar de todo mundo, porque toda essa geração anterior não é necessária pro restante da narrativa e os personagens realmente importantes serão bastante enfatizados. Acredito que Kevin realmente pecou no momento de colocar as peças no tabuleiro, porém, depois disso, a narrativa ganha um fôlego muito grande e é praticamente impossível parar de ler.

    Assim como em Wayne de Gotham (a gente fala sobre ele em outro momento), eu também fiquei muito receoso quanto às capacidades do autor, a partir do momento em que ele vai retratar a vida de um dos planetas mais importantes do universo DC Comics. Porém, assim como Tracy, Kevin é extremamente competente e fez um ótimo trabalho. Ele vai descrevendo o mundo no tempo de Jor-El, relembrando acontecimentos antigos que serão extremamente influentes para o futuro do planeta e demonstrando o poder destrutivo que uma política mal administrada possui — o que torna impossível que o leitor não faça uma analogia dos nossos políticos, com os bossais de Krypton.

    "O poder não está em um nome ou num título, mas no que se faz com ele."

    Outro ponto positivo da escrita de Kevin, foi a maneira em que descreveu a personalidade dos personagens, principalmente as de Jor-El, Lara e Zod, sendo bastante fiel às HQs e criando toda a coerência com o papel fundamental que cada um desempenhou para o planeta. Eu já conhecia boa parte da história sobre o fim de Krypton e mesmo assim o autor conseguiu me prender com o rumo da narrativa, embora tenha divergido dos quadrinhos em alguns fatos, personagens e principalmente nas atitudes de Jor-El. Mas nada que tenha me deixado desgostoso. Pelo contrário, achei até mesmo bem interessante.

    O final é tão emocionante quanto deveria ser a morte de um planeta, quando existem pessoas inocentes que tentaram salvá-lo, e principalmente quando há um casal que precisa se despedir e se sacrificar para tentar poupar a vida do filho. Mesmo para quem não conhece o Superman ou até mesmo não gosta do personagem, anota o que tô falando, é praticamente impossível não sentir uma compaixão por ele no final de toda essa história. Quem sabe, até mesmo passar a gostar do todo-poderoso da DC Comics.

    Avaliação:

    Ficha Técnica:
    Título: Os Últimos Dias de Krypton
    Autores: Kevin J. Anderson
    Editora: LeYa
    Páginas: 464

    Desde criança eu gostava de assistir programas de investigação. Acho fascinante quando um filme ou um episódio de uma série policial, consegue me surpreender. Mas quando me tornei leitora, esse não era um gênero que me cativava. Na verdade, eu acho que eu tinha medo. Medo da história ser ruim, da narrativa não me prender ou de eu não conseguir entender. Bom, a curiosidade acerca de um tema foi maior que meu medo, dei uma chance e… adorei! Então, quando tive a oportunidade de ler Esposa Perfeita para trazer a resenha aqui para vocês, eu não pensei duas vezes!

    Esposa Perfeita é o oitavo livro da série Will Trent, mas ler ele de forma independente é totalmente possível, até mesmo porque foi o que fiz. Esse foi o primeiro livro que li da autora Karin Slaughter e não senti a mínima dificuldade em acompanhar a história.

    O livro inicia com um prólogo agonizante, uma mãe segurando a filha que não a conhecia, à beira da morte. Esse começo tenso já prende a nossa atenção para o que está por vir. E após somos apresentados à uma cena de crime brutal. Um policial, chamado Dale Harding aparece morto em uma boate abandonada. Acontece que essa boate é de um famoso jogador de basquete, Marcus Rippy. Recentemente, Will havia se dedicado intensamente ao caso que acusava Rippy de estupro e agressão, porém com sua influência ele conseguiu se safar, deixando Will e Faith - sua parceira - totalmente indignados.

    “- Odeio casos de estupro. Você não joga um caso de assassinato para um júri e eles perguntam: “Bom, o cara foi realmente assassinado ou ele está mentindo porque quer atenção? E o que ele estava fazendo naquela parte da cidade? E por que ele estava bebendo? E todos aqueles assassinos com quem ele saiu antes?” 

    Acontece que todo o sangue que preenche a cena de crime não é do policial morto e em meio as primeiras investigações um possível nome aparece: Angie Polaski, a ex esposa de Will Trent. E aí a história começa a se desenrolar. Will precisa descobrir aonde Angie está e porque estava envolvida nisso tudo, qual a ligação de Marcus Rippy com o crime e muitos outros questionamentos surgem no decorrer da história. 

    Karin Slaughter tem uma escrita cativante e descreve as cenas e ambientes com detalhes, o que pode tornar alguns capítulos arrastados, mas em contra-partida, tem o poder de nos imergir à história, tornando tudo mais tenso e envolvente. A autora traz temas pesados de maneira bruta e fria, nos fazendo entender a dureza dos fatos. Ela trata sobre a violência contra mulher, relacionamento abusivo, abandono de crianças e a influência do dinheiro. Algumas vezes meu coração apertava e eu lembrava como a vida é difícil e como pode ser pior para além da minha realidade. 

    "Sempre havia um cara esperando por ela, esperando algo dela, ansioso por ela, odiando-a. Tinha sido assim desde sempre. Aos dez anos: o cafetão de sua mãe ofereceu trocar uma refeição por sua boca. Aos quinze anos: um pai adotivo que gostava de cortá-la. Aos vinte e três: um soldado que fazia guerra no corpo dela. Aos trinta e quatro: um policial que a convenceu que não havia sido estupro. Aos trinta e sete: outro policial que a fez acreditar que a amaria para sempre.Para sempre nunca durava tanto assim."

    Esposa Perfeita é um livro envolvente e daqueles que te surpreende a cada instante. No início ele parece que vai ter uma levada arrastada, mas no desenrolar as peças vão encaixando, as coisas se revelando e o leitor se vê totalmente imerso na narrativa. Não posso dar mais detalhes pois em um livro assim cada detalhe pode ser spoiler. Se você gosta desse gênero literário, tenho certeza que você vai adorar esse livro. Agora se você não está acostumado a ler livros desse gênero, convido você a sair da zona de conforto e conhecer Karin Slaughter, pois a partir de hoje eu leio até a lista de supermercado dessa mulher! 




    Ficha Técnica
    Título: Esposa Perfeita
    Autor: Karin Slaughter
    Série: Will Trent / 8
    Editora: HarperCollins Brasil
    Páginas: 461
    Perfil da Autora: 

    Formada em Contabilidade, Patrícia nasceu em Curitiba, em 25 de fevereiro de 1972. Não estou falando da autora errada!!! Rsrs. Paola Scott é o pseudônimo de Patricia Zirhut Dalmolin. 
    Casada, com dois filhos e leitora voraz, com o passar do tempo começou a sentir falta de livros que simbolizassem a mulher na fase mais experiente. Com isso ela resolveu escrever sua própria história e daí surgiu a série provocante que ganhou o coração de diversas leitoras. 

    Como ama interagir com suas leitoras, ouvindo suas opiniões e comentários, ela criou um grupo no facebook chamado “Paola Scott Romances”. A interação que rola lá é muito legal e super válida para quem é fã da autora. 

    Curiosidades:
    Seus autores favoritos são: Dan Brown, Nora Roberts, Nana Pauvolih e Halice FRS. 

    Livros favoritos (Alguns deles!! Rs): O Símbolo Perdido, Quarteto de Noivas, Teoria do Amor e Rainbow.

    Livros Lançados: Provocante V1, Provocante V2, Ousada, Adormecida, Determinada, Protegida. 

    Contos Lançados : Perdão e Reconciliação (Sobre o personagem Pedro e Paola, do livro Provocante. Está disponível na Saraiva gratuitamente), Love is in the air - Londres (Nos arredores de Londres),  VERÃO - Conto da Fraternidade 1, OUTONO - Conto da Fraternidade 2 e INVERNO - Conto da Fraternidade 3.

    Livros Resenhados:

    Quer conhecer mais desse incrível autora?  SiteFacebook Instagram, Twitter e Skoob.
    Oi Povo, tudo bem?
    Hoje vamos falar de “Raptada por um conde”, o último livro da série “As Irmãs Cynster - Nova Geração”. Sem sombra de dúvidas esse livro foi o melhor da trilogia e acabou entrando para minha lista de favoritos. Vou tentar evitar spoilers dos primeiros livros (“Conquistada por um Visconde” e “Salva por um cavalheiro”), não sei se conseguirei, mas irei evitar ao máximo.

    Angélica tem apenas 21 anos e é a mais nova das irmãs Cynster, mas isso não significa que é a mais indefesa ou sem opinião própria. Ela já estava de saco cheio da superproteção de sua família depois dos sequestros de suas irmãs, mas finalmente voltou a frequentar os luxuosos salões de Londres com liberdade logo que o “malvado” aristocrata morreu. Sua irmã Eliza lhe passou o amuleto da Senhora que trouxe sorte para ela e Heather, encontrarem finalmente seus heróis.

    Depois que ganhou o colar Angélica está decidida a encontrar seu mocinho e com isso vai ao sarau na casa de lady Cavendish com a esperança de encontrá-lo. Durante o evento um mistério homem chama logo a atenção dela, que tem certeza que ele é seu herói, mesmo nunca tendo o visto na vida. Ela resolve que deve ser apresentada a esse misterioso cavalheiro de qualquer maneira e pede para um dos seus amigos fazer as devidas apresentações. Quando finalmente são apresentados, Angélica fica com 300% de certeza que ele é o grande amor da sua vida. Só que nem tudo são flores e ela acaba sendo sequestrada por ele.

    “A voz era tão intensa que o timbre profundo e sensual parecia envolvê-la como se fosse um manto.  O contraste dos dedos frios ainda unidos aos dela e da voz misteriosa era simplesmente avassalador, aquecendo-a até a alma.” Pág: 09.

    Angélica ainda não consegue acreditar que se enganou em relação seu herói, afinal porque ele a sequestraria? Desse momento em diante descobrimos todos os mistérios dos livros anteriores e matamos nossa curiosidade a respeito do aristocrata. Finalmente ganhamos um nome e conhecemos a sua personalidade.

    “Eu a trouxe aqui porque queria conversar longamente e em particular. Preciso explicar o que está acontecendo - ele a prendeu pelo olhar. - E dizer porque preciso da sua ajuda.” Pág: 27.

    Não vou contar o motivo principal dos sequestro até porque não consegui adivinhar!! Hahaha Mas, preciso comentar que a leitura me surpreendeu e muito!!! O casal é simplesmente o máximo, eles passam por tantas aventuras que ficamos torcendo para que tudo termine bem!! Rsrs
    Angélica é muito madura, inteligente, decidida e mandona!! O completo oposto de suas irmãs!! Ele é o sonho de consumo de todos os mocinhos, sendo lindo, inteligente, prestativo, apaixonado e respeitador!! Resumindo: Ameiiii e super indico!!
      Avaliação:
      Ficha Técnica
      Título: Raptada por um conde
      Autor: Stephanie Laurens
      Série: As Irmãs Cynster - Nova Geração#03
      Editora: HarperCollins Brasil
      Páginas: 416
      author
      Se você: Cheira livros, se apaixona por personagens, sofre com eles como se fosse alguém da sua família, corre atrás de autógrafos, viaja para outro estado para participar da Bienal do Livro, adora um sebo, procura por eventos literários, entra na livraria para dar um livro de presente e sai com dois para você, então você está no lugar certo!