Oi Povo, tudo bem?
Hoje vamos falar de “Apenas Um Toque”, lançamento do mês de fevereiro pela The Gift Box, da autora M.S. Fayes. No momento só tem a versão em ebook, mas em junho poderemos ter essa lindeza em formato físico. Conheci a escrita da autora quando li DangeRock e amei. Confesso que estava morrendo de curiosidade para conhecer seu lado mais “adulto”.

Mila Carpenter, está no último período da faculdade e trabalha numa delicatessen no centro de Manhattan. E ainda não acredita que está conseguindo sobreviver naquela selva de pedra. Apesar do emprego humilde, ela ama trabalhar naquele lugar super aconchegante. Para completar tem um cliente que mexe com seu sentimentos, mas nunca teve esperanças dele desenvolver algum tipo de interesse por ela.

“Ele era de tirar o fôlego, e qualquer garota, mulher ou idosa do pedaço quase desfalecia na presença dele. Seu charme permanecia na delicatessen, mesmo quando ele saía e horas já haviam se passado.”

Adam é o cliente que Mila tem uma “quedinha”, ela nem imagina que ele só frequenta a delicatessen para poder vê-la todo santo dia. Ele se encantou com a simplicidade e alegria da menina, diversas vezes ele acha que esse sentimento é obra de magia. Afinal, Adam é super seguro, lindo, rico e do nada se vê cheio de dedos para conquistar aquela linda mulher. Como ele é super persistente consegue sair com Mila, e esse relacionamento se mostra mais intenso do que ambos esperavam.

“Por que um homem daquele porte acabaria tendo sentido qualquer espécie de desejo por uma mulher como eu?”

Não posso contar mais que isso da história, pois tudo seria spoiler grave!! Porém não posso deixar de comentar alguns pontos:
- Tive uma verdadeira história de amor e ódio com Mila durante todo o livro. Tinha horas que conseguia entender suas atitudes, mas em outras queria bater nela! Hahaha.
- Adam tem a personalidade de um cara mandão, mas em momento NENHUM ele é abusivo com nossa mocinha.
- Os personagens secundários, Anne e Vic, são pontos fortíssimos e com personalidades super marcantes. Vic é um ogro muito amável, adoraria ler um livro com a história dele!! Haha #ficaadica #fayespodeescrever
- Os pais de Adam são os melhores!! Simplesmente queriam a alegria do filho, lindo d+!!
- Um dos pontos que mais me marcou, foi quando pude observar que a criação de uma criança atinge diretamente o adulto que ela irá se tornar. Mila e Adam foram apostos até na criação quando criança.
- O livro é super dinâmico e cheio de reviravoltas. Numa dessas reviravoltas, só consegui largar a leitura quando acabei, pois precisava saber o final! Hahaha

“Apenas um toque” nos trás uma história de amor cheia de erros e perdas, muito parecida com o mundo real!

Avaliação:
Ficha Técnica
Título: Apenas um toque
Autor: M.S.Fayes
Editora: The Gift Box
Páginas: 324
Oi Povo, tudo bem?
Hoje vamos falar de mais um romance de época da Editora Arqueiro, como vocês já devem ter percebido, sou viciada neles! Haha. “Um Beijo À Meia-Noite” é da autora Eloisa James, todos os livros dessa série são uma releitura de algum clássico infantil. No primeiro livro “Quando a Bela Domou a Fera” temos a releitura de “A Bela e a Fera”, e nesse segundo temos de “Cinderela”. Antes de começar a falar do história, preciso comentar da capa desse livro, é uma lindeza, ou melhor, todas as capas dessa coleção são lindas e super diferentes das outras do gênero.

Kate, pode ser facilmente confundida com os empregados que trabalham na casa que era do seus pais. Sua mãe morreu quando ela ainda era uma menina e seu pai casou com Mariana na semana seguinte, e faleceu logo em seguida. Ele como um homem tolo que era, deixou toda a sua herança para sua nova esposa. O primeiro ato da madrasta como viúva, foi tirar Kate do quarto e enviar para o sótão. Depois demitiu sua preceptora e o administrador da propriedade. Apesar de não ser empregada, ficou com toda responsabilidade de gerir o negócio que sustenta a sua família.
“Raiva era o que sentia ao ver os olhares de piedade que lhe dirigiam conhecidos com quem nunca mai se encontrara para jantar. Era o que sentia por ter sido relegada a um acanhado quarto no sótão, denunciando sua posição inferior na casa. Era autodepreciação que sentia por não conseguir partir e dar as costas àquela situação.” Pág: 8. 

Atualmente, Kate tem 23 anos e sem perspectiva de casar, pois sua madrasta não lhe deu um dote. Mas, por um capricho do destino, ela que mal sai de casa é enviada para um castelo. Lá ela é apresentada para o príncipe Gabriel, a atração entre ambos acontece logo de cara, mas ele é noivo e ela uma plebeia que não tem onde cair morta. Como um relacionamento desses poderia acontecer?

“Tudo fascinava Kate. Como seria possível manter o castelo aquecido no inverno, quando a maior parte das janelas parecia não ter vidro? E o que acontecia quando a chuva entrava por aquelas fendas estreitas?” Pág: 56

Achei o começo do livro lento e demorei um pouco a entrar na história, confesso que isso me decepcionou um pouco, pois o primeiro livro da série está na minha lista de favoritos. Mas também não significa que o livro é ruim, muito pelo contrário. Acredito que meu problema maior foi o príncipe Gabriel, não consegui gostar dele de maneira nenhuma, passei a leitura toda querendo bater nele!! Hahaha. Para compensar, amei Kate, ela é linda por dentro e por fora. Dois pontos chamaram minha atenção:  1 - A “fada madrinha” de Kate, que foi super bem inserida na história e, cá entre nós, morri de rir com aqueles diálogos. 2 - A família de Gabriel, onde cada personagem é super bem caracterizado e com personalidade marcante, deixando a gente com vontade de morar no castelo e fazer parte dessa família meio maluca!! Rsrs.

Avaliação:
Ficha Técnica
Título: Um Beijo À Meia-Noite
Autor: Eloisa James
Série: Contos de Fadas #02
Editora: Arqueiro
Páginas: 320

Hey, pessoal! Eu já trouxe “O Ciclo das Trevas” por aqui e agora voltei para continuar a minha campanha de que todos deveriam ler essa série maravilhosa! Por isso, vim falar com vocês sobre o segundo volume da série de Peter V. Brett, que a DarkSide Books está trazendo pra gente — "A Lança do Deserto".

Eu confesso que fiquei muito assustado quando vi o livro pela primeira vez, porque é uma resma de 720 páginas! Então eu fiquei "ai meu Deus, o que tá acontecendo?", mas como Peter já havia conquistado meu coração no primeiro volume, não pensei duas vezes antes de embarcar no segundo.

Se por um lado o livro assusta com a grande quantidade de páginas, ele compensa o leitor com história da boa e da melhor. O único problema para mim, foi a impossibilidade de carregar isso tudo na mochila — não cabia —, então eu demorei um pouco mais para terminar, porque só conseguia ler em casa.

A história começa um pouco confusa nesse segundo volume, porque não continua exatamente de onde parou em "O Protegido". E durante umas duzentas páginas iniciais, Brett conta sobre o povo krasiano, aqueles doidos violentos lá do deserto, que adoravam matar demônios. Mas isso foi necessário para a continuidade da narrativa, então não se preocupem porque tudo fará sentido.

Agora, no Segundo Ciclo teremos um Salvador — Jadir, que era odiado por Arlen, lá no primeiro livro — que não é nenhum "mocinho" e que agora ascendeu com o título majoritário dentre os krasianos, que são bastante explorados aqui no segundo volume da série, adicionando mais personagens potenciais para a história. Mais à frente, nos encontraremos mais uma vez com Leesha, Arlen (minha paixão), Rojer e outros lá do Primeiro Ciclo. Ao total, a narração fica por conta oito personagens intercalados, o que tira um pouco da linearidade, mas eu gostei bastante.

"É uma longa viagem pelo deserto que habita o homem. Continuaremos a buscar a luz."

Peter gosta de brincar com o leitor nesse segundo volume, e onde a gente acha que vai acontecer uma coisa, ele dá um cavalo-de-pau e a história muda de rumo, mas tudo bastante crível e coerente. Então não se precipite nas conclusões porque provavelmente você estará enganado em muitas das vezes. Os personagens continuam muito marcantes e a história continua recheada de cargas de tensão, aventura e ação, além de romance e trechos emotivos. Também têm muitas surpresas pelas páginas, como por exemplo, uma nova classe de demônios!

O Segundo Ciclo começa arrebatador e termina com um trabalho muito bem-feito, que deixa aquele gostinho de "quero mais", ao final. Peter V. Brett está aí para ser comparado com grandes nomes da fantasia e nós estamos aqui para proteger essas histórias excelentes.

Avaliação:

Ficha Técnica
Título: A Lança do Deserto (Ciclo das Trevas #2)
Autor: Peter V. Brett
Editora: DarkSide Books
Páginas: 720
Queridos leitores,

Alguns de vocês, senão todos, já devem ter visto o livro Sorrisos Quebrados. A primeira coisa que chama a atenção nele é a capa, porque é paixão à primeira vista, e ao ler o livro se torna ainda mais perfeita.
Curiosidade: essa capa foi presente de uma fã para a autora. Quer presente melhor?! Amei!

Para aqueles que ainda não tiveram a oportunidade de conhecer, saibam que autora Sofia Silva é portuguesa e publicou o livro pela plataforma wattpad, conquistando milhares de fãs e fazendo muito sucesso na Bienal  no RJ em 2017. O grande sucesso se deve ao fato de Sofia pegar histórias pesadas e torná-las poéticas.

Paola descobriu um novo homem ao se casar, confiou nas promessas que fizeram um ao outro e se arrependeu amargamente disso. Aquele homem não existia, a imagem do seu marido era apenas isso mesmo, uma fachada, uma caixa de Pandora, atrativa por fora, mas por dentro só havia trevas. Num ato desesperado ela tenta fugir da prisão que se tornou a sua casa.

Eu grito.
Imploro.
Choro.
Sofro.
Luto.
Ele não para.
Eu não aguento.
Morro.
Pág.: 15

Sabe aquele livro que você fecha no prólogo e precisa de uns minutos para recomeçar. É esse!

Contra todas as probabilidades, Paola sobrevive e agora passa seus dias em uma clínica, cujo o objetivo é criar um ambiente tranquilizador, confortável e seguro para pessoas que como ela, sofreram alguma grande violência ou trauma. Lá Paola encontrou na pintura um refúgio do mundo.

Todo dia é um recomeço.
Todo dia eu renasço.
Todo dia eu me levanto.
Todo dia eu não desisto.
Todo dia eu vivo como se não tivesse
Todos os dias.
Pág.: 20

A clínica oferece um baile de carnaval para interação dos pacientes internos e externos, e é nessa festa, fazendo pinturas faciais, que ela conhece Sol, uma menina “tímida” e encantadora.

A menina sai do meu colo e aperta as minhas pernas com força.
Foi o melhor dia da minha vida! - diz emocionada. - O melhor! - Seus olhos brilham com o sentimento verdadeiro.
Pág.: 41

André é pai de Sol, um homem grande e charmoso, marcado por um passado de mágoas e dor, ele vive em função da única luz em sua vida, Sol, seu único objetivo de vida é ajudá-la a superar os traumas e fazê-la feliz.

Essa menininha linda é o laço que os liga inicialmente, até acharem um no outro mais do que apenas uma cola para unir seus pedaços Quebrados.

Às vezes, precisamos olhar para as pessoas com o coração e não com os olhos, pois só assim nós vemos quem realmente são.
Pág.: 42

Queridos leitores, o mundo está tão deturpado que já olhamos notícias trágicas achando normal, algumas pessoas já nem acreditam mais na humanidade e vivem à desconfiar no mundo. Sofia trás algo novo, como um sopro de esperança. Então o que eu venho dizer a vocês é tenhamos Fé, porque as pessoas podem nos surpreender de formas terríveis e dolorosas, mas também de formas excepcionais e inimagináveis. Tenham coragem de continuar andando quando só virem trevas, porque a luz está lá para aqueles que se permitem enxergá-lá.


Avaliação:
Ficha Técnica
Título: Sorrisos Quebrados
Autor: Sofia Silva
Série: Quebrados #01
Editora: Valentina
Páginas: 240

Se existe um livro que tenha me cativado me rendendo altas risadas desde o início, esse livro se chama Boston Boys. Com uma escrita leve e divertida, Giulia Paim nos conta a história de Veronica Adams – que é mais conhecida por seu apelido Ronnie – a partir do momento em que sua vida vira de cabeça para baixo! Ronnie, recebe a bombástica revelação de que sua mãe largou seu emprego de analista de sistemas para virar produtora de um dos programas mais famosos do
país – considerado a escória da humanidade por Ronnie – chamado Boston Boys

Boston boys é uma série que retrata o dia a dia de uma boy band com três integrantes: Henry E. Barnes (o baixista, conhecido como “o inteligente”), Ryan Johnson (o baterista, conhecido como “o esportista”) e Mason McDougal (o vocalista e guitarrista, conhecido como “o conquistador”). Até então Ronnie já achava isso péssimo, mas não há nada ruim que não possa piorar, sua mãe tinha guardado a pior notícia para o fim, Mason McDougal,  o insuportável astro principal do programa, viria morar em sua casa! 

De início você pode até pensar que a protagonista é “chata e reclama da vida que todos sonhamos em ter”, mas Mason – tratarei pelo primeiro nome por já ser íntima do personagem – faz sua opinião cair por terra quando aparece com sua estupenda arrogância “Hollywoodiana” e seu narcisismo asfixiante. Confesso que em várias partes do livro eu mesma queria dar um murro na cara dele, em outras eu queria abraçar e proteger do mundo, mas logo depois eu já queria dar outro murro na cara dele! Então, a partir desse momento, você vira totalmente #TeamRonnie e começa a odiar esse garoto com toda sua alma e espírito.

“- Ah... uma moto... mas qual é o problema de ir andando? - Eu não vou andando para a escola – ele disse, com firmeza, enquanto pegava o capacete.(...)                                                                               - Então tá. – Fui até ele. – Nunca andei de moto mes...                                                                           - Bem... Eu te vejo na escola. – Antes que eu pudesse completar a frase, muito menos subir na moto, ele a ligou e acelerou, não só me deixando para trás como jogando a água da rua em mim.”

Passado todo esse ódio, Mason honra seu título de conquistador e começa a te cativar, assim como uma personagem bem peculiar chamada Piper. Devemos dar honra a quem tem honra, e Piper merece o título de fã mais bizarra e dedicada existente, essa garota além de te fazer dar boas risadas, é uma ótima Sherlock Holmes, juro que se Piper fizesse parte do elenco de CSI, eles não levariam um episódio inteiro para descobrir quem é o assassino, no máximo ela descobriria nos primeiros 5 minutos!

O que mais me impressionou neste livro foi a nostalgia que ele me trouxe, situações bizarras que só aconteceriam em séries como Hannah Montana ou As Visões da Raven estão bem presentes, assim como os momentos de vergonha alheia que são característicos neste tipo de Sitcom. Se você curte livros leves e divertidos, é fã assumido do período 2006/2011 da Disney e chora até hoje pelo fim de alguma boy band – no meu caso, Jonas Brothers- está no caminho certo para começar a ler e amar Boston Boys.


Avaliação:                                                                                                                    Ficha Técnica
Título: Boston Boys
Autor: Giulia Paim
Editora: Globo Alt 
Páginas: 358

Olá galera, tudo bom?

A minha última resenha foi sobre Obsidiana, o primeiro livro da saga Lux, e nela eu mencionei que devorei o primeiro e o segundo livro em questão de horas! Então, não quis demorar para trazer para vocês a resenha sobre o segundo livro, Ônix. Se você ainda não leu o primeiro livro, aconselho a ler antes de conferir a resenha, caso tenha lido ou não ligue para spoilers, vem comigo para saber o que esperar do Ônix!

Ônix inicia logo após os acontecimentos finais de Obsidiana, com um Daemon firme na ideia de “conquistar” Katy - apesar de saber que ela já está totalmente na dele -, esta por sua vez segue - mais ou menos - firme na ideia de que o que ele sente por ela não é real, e sim resultado da conexão que a cura proporcionou. 

“Um desejo nada saudável fez meu corpo inteiro vibrar, mas me lembrei de que aquela repentina mudança de comportamento tinha mais a ver com seu abracadabra alienígena bizarro do que com ele gostar de mim.”

Só que não é só a conexão que preocupa Katy, a cura também a proporcionou poderes. Só que ela não faz ideia de como controlar esses poderes, o que se torna perigoso, já que ela move coisas por aí quase expondo o segredo aos outros. Porém, nesse momento, chega uma pessoa nova na escola, um super gato com pinta de surfista que entende muito bem o que é sair de uma cidade grande para morar em uma cidadezinha, não bastasse isso, ele se mostra super interessado na Katy, que está doida pra viver alguma “normalidade” em sua vida.

Depois da batalha com os Arum, o Departamento de Defesa está atento e desconfiado desse envolvimento da Katy com os gêmeos alienígenas e,  com eles rondando a cidade, tudo está muito mais tenso e preocupante. Katy então se aproxima do novato Blake, e acaba descobrindo nele uma possibilidade de ajuda para entender e dominar os seus poderes. Mas quem não fica nada feliz com isso, é o gatão alienígena Daemon, e vai fazer de tudo para atrapalhar essa proximidade dos dois, enquanto tenta demonstrar à Katy que o que ele sente é real e não produto da conexão. 

“- Não confio nele. Não confio em nada do que diz respeito a ele, Kat. - Tirou o boné, correu os dedos pelo cabelo e enfiou-o de novo na cabeça. - Ele surge do nada e sabe de tudo. Todos os meus instintos me dizem que Blake não é confiável. Não sabemos quem ele é, se não está trabalhando para alguma organização. Não sabemos nada sobre ele.”

Como no primeiro livro, eu ainda tenho sentimentos confusos relacionados à essa saga.É incrível o quanto ela me prendeu e me envolveu! Devorei mais rápido ainda do que o primeiro livro, mas, ao mesmo tempo em que devorava me irritava com a escrita fraca, diálogos e situações extremamentes clichês e principalmente com a protagonista irritante! Vou ler o terceiro? Claro que vou e já até comprei o ebook do quarto livro! Mas sinceramente, não é tudo isso que sempre falaram. Por isso minha nota é ali, mais ou menos na média. Amei, porém odiei.  

"Ter lembranças, ainda que amargamente doces, é melhor do que não ter, sabia?"




Avaliação:                                                                                                                Ficha Técnica
Título: Ônix
Autor: Jennifer L. Armentrout
Série: Lux #02
Editora: Valentina
Páginas: 416

author
Se você: Cheira livros, se apaixona por personagens, sofre com eles como se fosse alguém da sua família, corre atrás de autógrafos, viaja para outro estado para participar da Bienal do Livro, adora um sebo, procura por eventos literários, entra na livraria para dar um livro de presente e sai com dois para você, então você está no lugar certo!