A Joia - Resenha

0 Comentários A+ a-

Hoje é meu último dia como Violet Lasting...

Olá galera! Como vocês estão?

Hoje eu trago para vocês a resenha de um livro que me surpreendeu bastante. A Joia, romance de estreia da autora Amy Ewing lançado pela Editora Leya.

Faz alguns meses peguei o hábito de ler sem saber sobre o que são os livros, nem olhar a sinopses ou gêneros, e devo dizer tenho tido boas surpresas. A Joia foi uma dessas surpresas, olhando pela capa parece um Romance de Época e tenho lido muitos, mas na verdade é uma Romance Distópico dos mais loucos rsrsrs que vai te prender e deixar aquele “Como assim…” “Não pode ser…” no final. Tenha o segundo em mãos antes de começar a leitura, depois não diga que não avisei.

Para entender melhor:

A Cidade Solitária é dividida em cinco círculos, cada um deles separado por uma muralha, e todos, exceto o Pântano, têm apelidos relacionados à sua atividade. O Pântano é o círculo mais afastado, o mais pobre. Não temos atividade, apenas abrigamos os operários que trabalham em outros círculos. O quarto círculo é a Fazenda, onde toda comida é cultivada. Na Fumaça ficam todas as fábricas. O segundo círculo é chamado de Banco, porque é lá que os comerciantes têm suas lojas. E o círculo mais interno é a Joia. O coração da cidade.

A Joia é a realeza da Cidade Solitária, seus “monarcas” por assim dizer, são o Executor e a Eleitora (equivalente a Rei/Rainha), depois temos as quatro Casas Fundadoras (Duques/Duquesas e Condes/Condessas), e em seguida as Casas da Primeira, Segunda e Terceira Classes (Lordes e Layds). 

Em um passado distante, as mulheres da realeza perderam a capacidade de gerar crianças saudáveis, sua linhagem sanguínea estava morrendo quando foi descoberta a salvação. Foi descoberto nos genes de algumas mulheres do Pântano o dom dos presságios.

Primeiro presságio: Cor
Segundo presságio: Forma
Terceiro presságio: Crescimento

Um: ver o objeto como é. Dois: ver o objeto em sua mente. Três: submetê-lo à sua vontade.

Os presságios permitem reparar os danos nos cromossomos dos embriões reais, assim como realizar modificações durante a gestação. Essas mulheres são retiradas de suas casas, treinadas e vendidas à realeza para gerarem seus filhos.

Nossa protagonista é a Violet Lasting, mas logo no início do livro ela se torna o lote 197. Violet é vendida para a Duquesa do Lago e aí que o livro realmente começa. As substitutas são tratadas como uma propriedade, algumas inclusive levadas na coleira, são examinadas invasivamente e sofrem dores horríveis para executar os presságios com precisão e gerar crianças perfeitas, mas desta vez é ainda pior. O Executor e a Eleitora acabaram de ter seu primeiro filho e ele deve ser prometido dentro de um ano, sendo assim todas as mulheres querem gerar a menina perfeita para ser a futura Eleitora.

— Ah, já começou a temporada de caça à substituta? — Garnet pergunta do outro lado da mesa.

Existem dois tipos de pensamentos em relação as substitutas, aquelas que acreditam que só precisam de seus corpos com injeções estimulantes para gerarem os presságios, e aquelas que acreditam que uma substituta com personalidade gera crianças melhores. Para a sorte de Violet a Duquesa do Lago pertence ao segundo grupo, mas nem todas dão essa sorte e substitutas morrem a todo momento.

Com um enredo cheio de suspense A Joia te conquista e deixa de boca aberta com até onde o ser humano é capaz de chegar. Se você pudesse customizar seu filho, você o faria? Garantir não só a aparência perfeita, mas também uma saúde perfeita, você o faria? Violet vai encontrar seu anjo da guarda e consegui salvar aqueles que ama? 

Amei! Iniciando A Rosa Branca, resenha em breve!

Avaliação:
Ficha Técnica
Série: A Cidade Solitária #01
Título: A Joia
Autor: Amy Ewing
Editora: Fantasy - Leya
Páginas: 352

Sou professora de Matemática e Informática. Especialista em Informática Educativa, não gosto de monotonia e por isso, desde criança sou apaixonada por livros que me levam para um mundo novo a cada leitura. Casada, feliz e apaixonada por livros.