Pular para o conteúdo principal

Resenha: King Of Thorns


Hey, galerinha! Eu prometi que voltaria para aclamar novamente a Trilogia dos Espinhos, e aqui estou para falar com vocês sobre o segundo volume: "King Of Thorns". Lembra daquele príncipe irritante, violento, sem moral, frio, insano, cheio de ódio e tudo mais? Então, agora ele é rei!

Sim, Jorg se tornou rei, mas continua com praticamente as mesmas características de antes. O príncipe ainda é enraizado em Jorg, acontece que agora o personagem está um tanto mais problemático e confuso, porque precisa começar a lidar com o processo de amadurecimento, onde a gente consegue perceber alguns traços diferentes da criança que conhecemos no primeiro livro. Pode não parecer muito importante, mas os pensamentos um pouco mais maduros fará muita diferença, principalmente em alguns momentos de tomadas de decisão do personagem.

A narrativa vai contar sobre um rei Jorg que não está muito satisfeito com seu reinado e ainda por cima, enfrentará alguns problemas maiores — príncipes com dilemas de príncipes, reis com dilemas de reis — em que precisará contar com a ajuda de personagens que conhecemos lá no primeiro volume, para acompanhá-lo em mais uma jornada, enfrentando muitas criaturas do reino da fantasia que já estamos acostumados. Mas, eu volto a repetir, não fica nada clichê! Porque Jorg não é um personagem nada clichê e Mark Lawrence sabe escrever muito bem!
Novamente teremos a alternância entre passado e presente, mas tudo encaixado no "tempo/espaço" da série com a maestria de Mark Lawrence. Os detalhes também continuam muito bem trabalhados e mais uma vez teremos a sensação de que dimensões de eras diferentes se fundem e que muitas analogias fazem referência ao nosso mundo atual.

Eu encontrei muita gente falando mal da escrita do Mark e proclamando que a história não é boa. Mas como essa trilogia mora no meu coração, eu comprei essa briga e fui atrás de provas. Bom, não se preocupem, eu estou certo em levantar a bandeira do senhor dos espinhos. Os haters da série na verdade só não vão com a cara do autor e se acham o último biscoito do pacote por ler fantasias internacionais mais conservadoras, onde defendem os elementos padrões e realistas do mundo da história.
Porém é exatamente nisso que Mark se destaca. Seus elementos não são exagerados e não seguem uma linha de rotina de todos os demais livros de fantasia, porém ele costura tudo muito bem e em nenhum momento o universo deixa de ser crível. É muito interessante ver vários elementos misturados, dando forma a uma história muito coerente.
Nada comprovado sobre a falta de qualidade de Mark Lawrence, tampouco de suas narrativas. Provas maiores disso são as avaliações do Skoob, onde todos os volumes estão com avaliação acima de quatro estrelas, e esse segundo volume com 4.5! Se isso é nota pra um livro ruim, então eu não sei o que é um livro bom.

Prince Of Thorns me agradou muito, mas acredito que esse livro conseguiu atingir um nível mais elevado de profundidade na história e na continuidade da cronologia, além de deixar algumas coisas bem mais claras e definidas do "mundo" da narrativa, ganhando de vez o leitor.
Para quem gostou do primeiro livro, é certo que irá amar ainda mais este e eu deixo a dica de já garantir o terceiro e último, porque você vai precisar e eu voltarei aqui para falar sobre ele, em breve.

Avaliação:

Ficha Técnica
Título: King Of Thorns
Autor: Mark Lawrence
Editora: DarkSide
Páginas: 532

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Indomável - Resenha

Oi Povo, tudo bem? Hoje vamos falar de "Indomável", último livro da trilogia "Damas Rebeldes", da autora Julia Quinn, lançado pela Editora Arqueiro. Finalmente cheguei no livro de William Dunford! HAHHAA. Ele aparece nos livros anteriores " Esplêndida " e " Brilhante ", e deixa nós leitores apaixonados e doidos para conhecer ainda mais esse personagem libertino tão charmoso! HAHAHA. Ele fica completamente chocado quando descobre que herdou um título e uma propriedade na Cornualha. Dunford, viaja imediatamente para conhecer a propriedade que ele herdou, o que ele não imaginava é que encontraria uma mulher administrando a propriedade e que ela se tornaria sua responsabilidade junto a herança do título.  "Belle bateu palmas. Que fantástico! Dunford acabara de receber uma herança inesperada. Ela torcia para que fosse algo bom. Uma de suas amigas tinha acabado de herdar, a contragosto, 37 gatos. " Pág: 12. Henrietta Barrett, ou apenas Henry,

Talvez Agora - Resenha

  Oi Povo, tudo bem? Hoje vamos falar de "Talvez Agora”, que é continuação de "Talvez um dia” de Colleen Hoover lançado no ano passado pela Galera Record. Sou muito fã da autora e quando terminei “Talvez um dia”  fiquei sem saber o que fazer da vida porque eu não estava acreditando que a história terminava daquela maneira. Fiquei tão revoltada que comprei “Talvez Agora” no lançamento, mas levei meses para criar coragem e voltar para aquele universo. Vocês também são assim? HAHAHA. Espero sinceramente não ser a única!! HAHAHA. Ridge e Sydney, depois de tanto tempo, estão namorando. Sydney finalmente se sentiu segura para começar algo mais com Ridge. Ele por sua vez parece estar nas nuvens porque finalmente eles poderão viver um amor sem culpa e do jeito que sempre sonharam. Porém, isso não significa que tudo vai ocorrer nas mil maravilhas, afinal Ridge e Warren são as únicas pessoas no mundo que Maggie pode contar, e esse detalhe pode mudar tudo.  Maggie sabe que tem fibrose c