11 de outubro de 2019

Punk 57 - Resenha

Nós já postamos as primeira impressões desse livro antes da Bienal do Livro, onde ocorreu seu lançamento, mas agora, nós voltamos para dar a resenha completa! Punk 57 foi escrito por Penelope Douglas e publicado no Brasil pela nossa queridíssima editora parceira The Gift Box!   

Misha e Ryen se tornaram amigos por engano. Em um projeto na escola sobre envio de cartas, suas professoras acabaram juntando os dois, a professora de Misha achava que Ryen era um menino e a de Ryen achava que Misha era uma menina, como eram de escolas diferentes, elas nunca perceberam o erro. O projeto acabou, mas os dois continuaram se comunicando por cartas e, agora, anos depois, quando estão prestes a se formar no colegial, Ryen para de receber as cartas de Misha sem nenhum motivo aparente. Será que ele cansou de ser amigo dela? Pior, será que ele está morto? Ao mesmo tempo em que Ryen se preocupa com Misha, ela também se vê muito interessada em Masen, um menino misterioso que apareceu em seu colégio.

Após alguns acontecimentos, Misha se infiltra com um nome falso em uma escola da cidade vizinha, para pegar algo de um aluno de lá que lhe pertence, mas ele não contava com ter de lidar com Ryan, ou pior, uma versão totalmente megera e diferente da Ryen que ele conhece pelas cartas, e apesar de não estar lá por ela, Misha acaba se distraindo do seu objetivo e dando atenção demais para essa menina, que no momento, ele não sabe se ama ou odeia.


Cinquenta e sete vezes eu não liguei
Cinquenta e sete cartas eu não mandei,
Cinquenta e sete pontadas para voltar a respirar, e então, apenas fingir. 

O livro pode até começar um pouco lento, mas de repente ele fica muito misterioso e te deixa ansiosa para uma certa coisa acontecer logo. Em seguida a autora engata na história e você começa a se envolver pra caramba com os personagens… E é aí que a raiva começa. Sabe quando você quer pegar um personagem pela mão, levar para um beco escuro e dar um MURRO?

Nesse livro somos transportados para naqueles colégios que aparecem nas séries ou filmes, em que todas as pessoas são cruéis. E a protagonista é uma das patricinhas que humilha todo o mundo e é adorada na escola, mas em seu interior, diz só faz aquilo pela popularidade porque se agisse como ela mesma ninguém gostaria dela e blá blá blá... O ponto é: Se ela prefere humilhar as pessoas para ser popular ao invés de ser ela mesma, podemos constatar que ela não é uma pessoa tão boa assim, independente do lado que mostre de si mesma. 

Tirando os protagonistas problemáticos, que, inclusive, eu recomendaria alguns anos de terapia para cada um, o livro é bom, a história é muito legal, é aquele tipo de livro cheio de frases que você tatuaria pelo corpo, e cheio de cenas HOT que eu sei que vocês adoram! 


Avaliação:                                                                       
Ficha Técnica
Título: Punk 57
                            Autor: Penelope Douglas
                                                         Editora: The Gift Box
Páginas: 323

Nenhum comentário:

Postar um comentário

author
Se você: Cheira livros, se apaixona por personagens, sofre com eles como se fosse alguém da sua família, corre atrás de autógrafos, viaja para outro estado para participar da Bienal do Livro, adora um sebo, procura por eventos literários, entra na livraria para dar um livro de presente e sai com dois para você, então você está no lugar certo!