Ligeiramente Pecaminosos - Resenha

0 Comentários A+ a-

Oi Povo, tudo bem?
Hoje vamos falar de “Ligeiramente Pecaminosos” quinto livro da série “Os Bedwyns”, nem preciso dizer que sou mega fã de Mary, né? Rsrs
Quando fiz a resenha de Ligeiramente Seduzidos tinha comentado que Mary escrevia os livros ímpares super bem, mas os pares da série são simplesmente sensacionais! Mas, esse quinto livro me fez pagar minha língua porque simplesmente amei! Esse livro me emocionou falando de família, amizade e amor.

Para saber maiores informações dos livros anteriores da série basta clicar no nome do livro: Ligeiramente Casados, Ligeiramente Maliciosos, Ligeiramente Escandalosos e Ligeiramente Seduzidos.

Rachel York, ainda não sabe muito bem como foi morar num bordel, ela só sabe que tem um ódio mortal do “reverendo” Nigel Crawley que roubou o resto de sua economias e de suas amigas donas do bordel.
Bridget Clover, Flossie Streat, Geraldine Ness e Phyllis Leavey passaram anos juntando dinheiro para finalmente sair dessa vida, mas infelizmente elas caem na conversinha fiada daquele safado. Buscando uma saída para arrumar algum dinheiro, elas resolvem vasculhar algum “tesouro” entre os mortos e feridos da Batalha de Waterloo. Rachel, resolve ir junto com suas amigas, afinal foi ela que apresentou aquele safado a elas. Logo de cara, ela acha um jovem lindo completamente pelado que ela achava estar morto, mas para sua surpresa ele está vivo, apesar de estar em estado grave.

“Estava desesperada por ajuda. Talvez o homem ainda pudesse ser salvo. Com certeza ele não tinha muito tempo. Rachel gritou ainda mais alto, se é que isso era possível: - É meu marido! Por favor, alguém me ajude!”

Rachel consegue ajuda e acaba levando aquele jovem para o bordel, lá ele começa se recuperar e no processo de recuperação, ele descobre que nem ao menos sabe seu nome.
Nós leitores sabemos que ele é lorde Alleyne Bedwyn (terceiro irmão homem do duque de Bewcastle) que foi dado como morto pela sua família. Não me matem, pois isso está escrito na sinopse!! Apesar, de estar sem memória ele continua o mesmo sedutor e brincalhão de sempre, e com isso ele conquista o coração de todas as mulheres. Principalmente de Rachel, que ele trata como se fosse seu próprio anjo da guarda.

“- Morri e fui para o céu - murmurou, fechando de novo os olhos. - E o paraíso é um bordel. Ou seria um inferno cruel, já que, lamentavelmente, pareço incapaz de aproveitar as vantagens da minha boa sorte?”

Rachel quer muito ajudar suas amigas a recuperar a grana perdida e para isso ela resolve bolar um plano para colocar a mão em sua herança deixada pela mãe, que está em poder de seu tio. A única maneira dela fazer isso é completar 25 anos ou se casar. Alleyne que ainda não lembra de nada, resolve ajudá-la fingindo que é seu marido, saindo de Bruxelas e indo juntos para a Inglaterra. As amigas de Rachel, resolvem ir com eles também, afinal assim que conseguirem colocar as mãos na herança vão poder correr atrás daquele traidor.

“– Aquele sapo viscoso e desprezível – vociferou Geraldine. – Espere só até eu colocar as mãos nele. Vou arrancar todos os seus membros, um a um. Vou esganá-lo até a morte.”

Rachel conseguirá a herança? Alleyne irá recuperar a memória? Ele desconfiará que ela não é uma das prostitutas do bordel? Eles irão se apaixonar mesmo sabendo que ele correr o risco de ser casado? Rachel e suas amigas, pegaram o safado que as roubou?


Não posso contar mais que isso, pois não quero soltar spoiler, mas devo dizer que além de emocionar esse livros nos rende boas risadas. Os personagens são maravilhosos.

Avaliação:
Ficha Técnica
Título: Ligeiramente Pecaminosos
Autor: Mary Balogh 
Série: Os Bedwyns #05
Editora: Arqueiro
Páginas: 272

Conteúdo Especial:
Baixe um trecho do livro e Livretos Romances de Época.

Eu sou a Iris, não sou a deusa greco/romana das mensagens, mas bem que eu gostaria! Sou pós-graduada em Análise de Sistemas. Adoro minha profissão e tudo que é relacionado a tecnologia, mas meus grandes amores são meus livros e meu super cão Bethoven - O Magnífico. Acho, sinceramente, que a vida não teria graça sem livros. Afinal, viver uma só vida não me bastaria. Não posso esquecer de dizer que adoro uma boa conversa, principalmente se tiver livros no assunto.