Pular para o conteúdo principal

Assassin's Creed - filme



Oi pessoal! Tudo certinho?

Como vocês sabem as Fadas Literárias fazem parte do grupo Aliança de Blogueiros, e foi através dessa parceria que tivemos a oportunidade de ir na cabine de imprensa do filme Assassin's Creed e eu (Priscila) pude enfim conferir essa tão aguardada estreia, me empolgar e ainda vibrar do início ao fim.


Em primeiro lugar, tenho que confessar  que eu (Priscila) sou suspeita para falar desse filme, mas uma coisa que todos têm que concordar comigo é que Assassin's Creed, o game, foi de algum modo criado para ser adaptado e chegar telonas dessa maneira tão digna como então foi retratado. Esse fato só ocorreu graças à abençoada iniciativa de Ubisoft e também à Michael Fassbender (meu eterno Magneto da franquia X-men: Primeira Classe), grande astro de Hollywood que, além de ser o protagonista, atua na produção desse primeiro filme e que espero, não seja o último da surpreendente franquia. Onde ainda conta com Justin Kurzel na cadeira de diretor, retomando a proveitosa e certeira parceria de MacBeth.

Seguindo contra a maré de outras adaptações (sério pessoal vamos pesquisar o real significado dessa palavra) do mundo dos games e livros bem mais fiéis ao seus universos, o sucesso desse filme só se tornou possível devido a pequena, porém não tão relevante, reverência diretas aos jogos. De certa maneira entendo que para os mais rigorosos fanáticos pela franquia se decepcionaram um pouco com essa falta de imersão completa, porém o roteiro de Michael Lesslie, Adam Cooper e Bill Collage faz um mix da franquia e seus conceitos básicos para que todo o público possa entender e amar a história.


Dentre todas,  as cenas que mais se destacaram e que mais foram comentadas no dia da cabine são:  a do embate entre assassinos e templários, retratando de maneira mais que perfeita aquela época e seu modo de vida, o funcionamento do Animus que protagonizou cenas intensas, e a épica corrida pelo o poder da Maçã do Éden, cumprindo  assim o papel de situar o espectador nesse novo mundo.

Desse modo, somos introduzidos  a essa versão pelos olhos de Callum Lynch - um sujeito condenado ao tão famoso corredor da morte e que passa à ser propriedade de uma grande empresa, chamada  Abstergo, servindo para um único propósito: ser uma cobaia viva, ao estilo ratinho encrenqueiro e não tão fofo de ser. Logo, ele é colocado dentro de uma máquina do tempo genética, o Animus, onde poderá vivenciar a trajetória de seus antepassados, descobrir verdadeiramente sua identidade, sua missão e fazer as pazes com seu passado sombrio, além de desvendar o grande poder da falada e desconhecida Maçã do Éden, um artefato que acredita-se esconder os segredos sobre a criação da humanidade.


No meio disso, a trama  aborda e tenta  incluir os espectadores nos dilemas sobre violência e ódio os mais primitivos sentimentos que a humanidade carrega desde os primórdios, o auto controle, as disputas religiosas que sempre foram motivadores e iniciativas para muitas guerras serem travadas, e ainda o livre-arbítrio. De fato o tema e a maneira como foi abordado pelos personagens, Marion Cottilard (aclamada atriz francesa vencedora do Oscar, conhecida principalmente por estrelar os filmes Piaf - Um Hino ao Amor entre outros) e Jeremy Irons (ganhador do Oscar por O Reverso da Fortuna), sobre os perigos da liberdade, deixa o filme um pouco mais lento e repetitivo, fazendo-o avançar e ganhar certa dinâmica quando mergulha na vida de Aguilar (antepassado de Callum), o assassino vivido por Mictivo hael Fassbender.

No entanto, dentre os conceitos apresentados pelo longa, o Credo dos Assassinos que está no topo e em pleno destaque durante todo momento. Além disso, o figurino e fotografia são extraordinários e de muito bom gosto, e ainda os seus efeitos espetaculares são elementos fundamentais para completar essa sinfonia perfeita e envolvente de toda essa aventura. Tanto que assim que eu (Priscila) acabei de assistir comentei que queria imensamente fazer parte também dessa narrativa e um pequeno detalhe cruzei os dedos fortemente para que na saída do cinema alguém me abordasse  e então me carregasse para ingressar nessa incrível irmandade.


Então agora que já notaram o nível de fã fanática que sou e que amou cada detalhe do filme, uma de uma lista quase interminável de dicas prepararem  aquele super combo de pipoca especial, sendo de preferência dessa temática, comprem o ingresso antecipado já que ninguém merece ficar na gigantesca fila do guichê do cinema, chamem os amigos parentes e afins, respirem fundo e sempre mantenham a mente aberta para todas as possibilidades quem sabe vocês não tenham a agradável surpresa de pertencerem ao credo. Bom filme !!

Ficha Técnica:
Data de lançamento 12 de janeiro de 2017 (1h 56min)
Direção: Justin Kurzel
Elenco: Michael Fassbender, Marion Cotillard, Jeremy Irons mais
Gêneros: Ação, Ficção científica
Nacionalidades: Eua, França
Nota: 9,0 quase uma cinco estrelas.

Elenco: Michael Fassbender, Marion Cotillard , Jeremy Irons, Brendan Gleeson, Michael K. Williams e Charlotte Rampling, entre outros.








Trailer:

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Indomável - Resenha

Oi Povo, tudo bem? Hoje vamos falar de "Indomável", último livro da trilogia "Damas Rebeldes", da autora Julia Quinn, lançado pela Editora Arqueiro. Finalmente cheguei no livro de William Dunford! HAHHAA. Ele aparece nos livros anteriores " Esplêndida " e " Brilhante ", e deixa nós leitores apaixonados e doidos para conhecer ainda mais esse personagem libertino tão charmoso! HAHAHA. Ele fica completamente chocado quando descobre que herdou um título e uma propriedade na Cornualha. Dunford, viaja imediatamente para conhecer a propriedade que ele herdou, o que ele não imaginava é que encontraria uma mulher administrando a propriedade e que ela se tornaria sua responsabilidade junto a herança do título.  "Belle bateu palmas. Que fantástico! Dunford acabara de receber uma herança inesperada. Ela torcia para que fosse algo bom. Uma de suas amigas tinha acabado de herdar, a contragosto, 37 gatos. " Pág: 12. Henrietta Barrett, ou apenas Henry,

Talvez Agora - Resenha

  Oi Povo, tudo bem? Hoje vamos falar de "Talvez Agora”, que é continuação de "Talvez um dia” de Colleen Hoover lançado no ano passado pela Galera Record. Sou muito fã da autora e quando terminei “Talvez um dia”  fiquei sem saber o que fazer da vida porque eu não estava acreditando que a história terminava daquela maneira. Fiquei tão revoltada que comprei “Talvez Agora” no lançamento, mas levei meses para criar coragem e voltar para aquele universo. Vocês também são assim? HAHAHA. Espero sinceramente não ser a única!! HAHAHA. Ridge e Sydney, depois de tanto tempo, estão namorando. Sydney finalmente se sentiu segura para começar algo mais com Ridge. Ele por sua vez parece estar nas nuvens porque finalmente eles poderão viver um amor sem culpa e do jeito que sempre sonharam. Porém, isso não significa que tudo vai ocorrer nas mil maravilhas, afinal Ridge e Warren são as únicas pessoas no mundo que Maggie pode contar, e esse detalhe pode mudar tudo.  Maggie sabe que tem fibrose c