Pular para o conteúdo principal

TOC - Transtornada Obsessiva Compulsiva - Filmes

 Oi pessoal! Tudo certinho?
Como vocês sabem as Fadas Literárias fazem parte do grupo Aliança de Blogueiros, e foi através dessa parceria que tivemos a oportunidade de ir na cabine de imprensa do filme TOC - Transtornada Obsessiva Compulsiva com direção e roteiro da dupla de Paulinho Caruso e Teo Poppovick.

O filme acompanha a história de Kika K (Tatá Werneck) uma atriz  recém descoberta, em ascensão e mega famosa, além de novelas, estrela campanhas publicitárias e é idolatrada por milhões de fãs. Mas como nem tudo é perfeito, por trás de todo o glamour e holofotes, se encontra mergulhada em crise tanto em sua vida pessoal como na profissional. Enquanto precisa lidar com as limitações de seu Transtorno Obsessivo Compulsivo intenso e muito negado,  Kika se depara com Felipão (Luis Lobianco) um fã super louco e obsessivo, um namorado galã babaca e totalmente sem noção (Bruno Gagliasso) e ainda com os compromissos profissionais marcados pela exigente empresária (Vera Holtz). 

Kika K (Werneck), parece estar em todo lugar na TV, nas livrarias, em inúmeras campanhas e com tanta pressão passa a afundar cada dia mais em suas manias, agitação e inquietudes, tendo ainda que lidar com a espera e a expectativa  de conseguir o sonhado papel de protagonista em uma novela. Ao mesmo tempo, sofre com o rumo que sua vida tomou,  sua dura rotina, a distância e incompreensão do namorado galã (Bruno Gagliasso) e com uma a promoção de seu primeiro livro, que ela não escreveu e que foi induzida a divulgar como seu.

Eu ( Priscila) tenho que confessar que quando a Tatá surgiu nas novelas globais percebi que possua um talento raro no ambiente da comédia. E vi que seu tempo de resposta, raciocínio rápido e dom para improvisar  seria sucesso instantâneo, assim a aposta deu certo e acabou virando um grande fenômeno não só na telinha como também pode-se conferir nas telonas. Sucesso em tudo que toca, desde seu estouro na MTV, Tatá Werneck conquistou seu espaço com o passar do tempo e  participações  aclamadas em produções como Amor à Vida, Loucas pra Casar, Vai Que Cola e Haja Coração. Agora, nesse exato momento resolveu se aventurar nos cinemas e como disse anteriormente é lógico que seria um grande sucesso, bem leve,irreverente, empolgante e que consegue arrancar grandes crises de risos, onde no meu caso achei tão hilário que ri do início futurista até o fim inesperado. Posso dizer  com absoluta certeza que esse  é seu melhor trabalho, comparado não só as novelas, mas ainda aos seus tempos na MTV.
TOC de todas as maneiras possíveis é uma trama muito bem construída, inteligente, hilária, impactante, com uma plena arte de improviso e de certa forma também reflexiva. Já que aborda esta nossa nova realidade de celebridades instantâneas, que surgem do nada, parecem vazias e ainda assim cativam milhares e milhares de pessoas internet afora. Sem dúvidas e apesar de que muitos irão falar por puro preconceito por ser um filme brasileiro e ainda mais por ser uma comédia, ele sim possui uma qualidade única na produção e que fica mais claro nos diálogos travados no transcorrer das cenas. Ainda mais por descobrir que Kika é real, de carne e osso, um ser humano que erra, surta, grita, acerta e não é vazia, embora viva em um ambiente surrealista. 

Durante todo o desenrolar do filme os espectadores são mergulhados em uma espécie de máquina do tempo, não só pelos diálogos que remetem ao passado como ainda toda a brilhante trilha sonora que nos introduz nesse universo dançante, tais como: Raul Seixas, "Ouro de Tolo", "Nosso Sonho", de Claudinho e Buchecha, e "Eva", da Banda Eva, além das divertidas  referências  como Timbalada e Cidade Negra.

Logo, posso dizer que toda construção desse filme me surpreendeu bastante, por todos os mínimos detalhes,  seja pelo cenário, o elenco top de linha, roteiro e trilha sonora tanto pelo design e produção mais caprichado do que a maioria dos filmes desse  gênero no Brasil, sendo o destaque master os momentos do mundo dos sonhos da personagem. Tatá está extraordinária como a figura principal, porém essa  história não funcionaria sem o talento também dos autores e atores envolvidos, além dos bons personagens envolvidos. Como não podia deixar de destacar,  Vera Holtz surge divertidíssima como a empresária da atriz e consegue demonstra um lado mais cômico que nunca tinha presenciado.
Apesar de para mim ser desconhecido Daniel Furlan surge com uma atuação moderada e muito boa, onde é um sujeito anti-social, fechadão e de opiniões fortes e diversificadas que acaba por acaso na vida de Kika e oferece a ela uma visão diferente e livre do ponto de vista amoroso, envolvendo unicamente o espectador em sua perspectiva.
Outra atuação impecável e que na minha opinião possui um brilhantismo enigmático, é a participação de Ingrid Guimarães, que interpreta ela mesma, uma atriz consagrada que vive uma rivalidade com Kika. No qual,a cena em que as duas atuam juntas me arrancou boas gargalhadas, é impagável e muito ágil; mais ainda por saber na coletiva de imprensa do filme pela própria Tatá que foi a cena do mais puro improviso, sem ensaio e muito extrovertida, remetendo muitas vezes aquela peças teatrais de comédia hilariantes.

Por falar em entrevista coletiva , eu ( Priscila) tive a oportunidade de participar após a cabine de um bate papo com parte do elenco que não contou com a presença da Vera Holtz e da Ingrid Guimarães, onde em um universo paralelo perfeito e em que o Flash não tenha alterado usando sua super velocidade para interferir negativamente, a mega fã aqui teria conhecido o deliciosinho do Bruno Gagliasso, porém a triste realidade realidade resolveu me desiludir mais uma vez e ele também não esteve presente. Assim, me contentei com a presença ilustre da Tatá/tampinha Werneck e filmei tudinho, fotografei, ri com suas tiragens e enfim abracei, elogiei e tirei uma fotinho bem agarradinha com ela como uma boa fã/blogueira. 

Agora voltando para o filme  TOC dou-lhes uma master dica, corram  para os cinemas, preparem a pipoca quentinha com um bom e velho copo supremo de mate geladinho, façam aquele alongamento maxilar e abdominal se preparando para as crises intensas de risos e levem o lencinho para limpar a maquiagem borrada, pois vocês irão chorar de tanto rir. E não esqueçam  de que todo mundo tem a necessidade de em algum momento em sua vida, simplesmente de "ligar o foda-se". Bom filme cinéfilos !
Observação: O filme conta com uma importante cena pós-crédito, ao bom estilo Marvel de ser e vocês não ficarão olhando para a tela cheia de letrinhas  até acabar para não ter nada no fim como nos outro filmes.

Ficha Técnica:
Data de lançamento: 2 de fevereiro de 2017 (1h 45min)
Direção: Paulinho Caruso, Teo Poppovick
Gênero: Comédia
Nacionalidade:  Brasil
Classificação: Não recomendado para menores de 14 anos
Nota: 9.0,quatro estrelas
Fotografia: Pierre de Kerchove
Roteiro: Paulinho Centaruso, Teo Poppovic
Produção: Bianca Villar, Fernando Fraiha, Karen Castanho
Distribuidor: Dowtown Filmes
Elenco: Tatá Werneck, Bruno Gagliasso, Vera Holtz entre outros








Trailer :


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Eleanor & Grey - Resenha

Oi Povo, tudo bem? Todo mundo que acompanha o blog sabe que sou mega fã de Brittainy C. Cherry, então quando vi que a caixa do “clube da Carina Rissi” vinha com o livro “Eleanor & Grey" e os marcadores de todos os livros da autora lançado aqui no Brasil, fiquei LOUCA. Graças ao bons Deuses dos livros, a Editora disponibiliza a caixa de maneira avulsa e consegui comprar essa lindeza! Rsrs. Sabe aquele tipo de livro que quando você termina, seus pensamentos são: “Obrigada Deus por eu amar ler! Obrigada por livros assim! Que lição de vida! Que autora maravilhosa!!". Quando terminei mandei uma foto da minha cara inchada de tanto chorar para Helyssa (voocomlivro) e Anastacia (notasliterarias_), falando que não estava sabendo lidar com tantos sentimentos. Eleanor, é uma adolescente que ama ler, não é muito social e ainda usa aparelho nos dentes, essa junção é o bastante para chamarem ela de esquisita ou sorriso metálico. Ela nem liga muito para esses comentários, Eleano

Talvez Agora - Resenha

  Oi Povo, tudo bem? Hoje vamos falar de "Talvez Agora”, que é continuação de "Talvez um dia” de Colleen Hoover lançado no ano passado pela Galera Record. Sou muito fã da autora e quando terminei “Talvez um dia”  fiquei sem saber o que fazer da vida porque eu não estava acreditando que a história terminava daquela maneira. Fiquei tão revoltada que comprei “Talvez Agora” no lançamento, mas levei meses para criar coragem e voltar para aquele universo. Vocês também são assim? HAHAHA. Espero sinceramente não ser a única!! HAHAHA. Ridge e Sydney, depois de tanto tempo, estão namorando. Sydney finalmente se sentiu segura para começar algo mais com Ridge. Ele por sua vez parece estar nas nuvens porque finalmente eles poderão viver um amor sem culpa e do jeito que sempre sonharam. Porém, isso não significa que tudo vai ocorrer nas mil maravilhas, afinal Ridge e Warren são as únicas pessoas no mundo que Maggie pode contar, e esse detalhe pode mudar tudo.  Maggie sabe que tem fibrose c