Pular para o conteúdo principal

A Rainha de Tearling - Resenha


Hey, galerinha! Nesse mês comemoramos o dia internacional das mulheres, então eu resolvi trazer um livro que tem mulheres protagonistas, aqui no #IAmNotAFairy de hoje! Mas se você é homem, me acompanhe mesmo assim, o livro é fantástico — literalmente!

Há algum tempo eu havia comprado “A Rainha de Tearling”, mas a leitura sempre perdia a vez para algum outro título que furava a fila, hahaha. Mas finalmente eu consegui ler e olha, que história da boa!

Kelsea é uma princesa, que foi enviada em exílio por sua própria mãe, para que fosse escondida e mantida com vida até que chegasse a idade de assumir o trono, pouco antes de sua mãe — a rainha Elyssa — morrer.
Kelsea então se encontra em uma cabana remota, com um casal que lhe ensina todo o conhecimento necessário, até que chega o dia em que a Guarda da Rainha — os únicos soldados que sabiam onde a princesa se encontrava — aparece para buscar a nova governante de Tearling.

Lembram que eu falei “princesa”? Pois então, Kelsea é uma princesa por ser filha da rainha, mas não espere aquela garotinha delicada, mimada e frágil. Kelsea não possui uma beleza feminina delicada, tampouco evita de entrar em uma batalha. É uma garota forte, como uma rainha deve ser.
Ela havia adquirido o conhecimento necessário e agora precisa usar sua própria sabedoria aplicar esses conceitos e reestabelecer o reinado de seu povo, que vem decaindo, em domínio da Rainha Vermelha, desde a queda de sua mãe. E tudo isso, contando com poucos, mas fiéis aliados.

A narrativa é muito intensa e tem cena de ação a todo momento, a ponto de você se pegar balançando a perna ou batendo o pé de ansiedade em saber quem vai morrer na batalha, o que vai acontecer na página seguinte, ou se os planos vão falhar ou não.
Uma rainha que chega para “causar” e brigar de frente com outra rainha “diferente” e poderosa. Já dá para saber que muita coisa boa, muito confronto e muito sangue vão rolar pelas páginas da trilogia. Ah, e se você estava se perguntando sobre magia, ela também está presente no meio disso tudo!

Não precisa se preocupar com o lançamento dos próximos volumes, porque o último já foi lançado no início desse ano. Mas eu deixo a dica: comprem os três de uma vez só, porque vai ser impossível parar enquanto não ler tudo!

Avaliação: Nota 4/5

Ficha Técnica:
Título: A Rainha de Tearling
Autores: Erika Johansen
Editora: Suma de Letras
Páginas: 352

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Indomável - Resenha

Oi Povo, tudo bem? Hoje vamos falar de "Indomável", último livro da trilogia "Damas Rebeldes", da autora Julia Quinn, lançado pela Editora Arqueiro. Finalmente cheguei no livro de William Dunford! HAHHAA. Ele aparece nos livros anteriores " Esplêndida " e " Brilhante ", e deixa nós leitores apaixonados e doidos para conhecer ainda mais esse personagem libertino tão charmoso! HAHAHA. Ele fica completamente chocado quando descobre que herdou um título e uma propriedade na Cornualha. Dunford, viaja imediatamente para conhecer a propriedade que ele herdou, o que ele não imaginava é que encontraria uma mulher administrando a propriedade e que ela se tornaria sua responsabilidade junto a herança do título.  "Belle bateu palmas. Que fantástico! Dunford acabara de receber uma herança inesperada. Ela torcia para que fosse algo bom. Uma de suas amigas tinha acabado de herdar, a contragosto, 37 gatos. " Pág: 12. Henrietta Barrett, ou apenas Henry,

Long Shot - Resenha

  Oi Povo, tudo bem? Hoje vamos falar de “Long Shot” primeiro livro da série Hoops, da autora Kennedy Ryan, lançado pela Editora The Gift Box. Esse livro mexeu tanto comigo que demorei meses para me sentir segura em escrever essa resenha. A história de August e Iris, é muito surpreendente, mas isso não significa que ela é leve. Minha xará passa por cada situação que nenhum ser humano deveria passar, mas ainda bem que existem pessoas como August. Ele é simplesmente sensacional e ela é uma mulher extremamente forte. Deu para perceber que me encantei pelo casal, né? Rsrs. Iris e August se conhecem num barzinho de um hotel e a conversa dos dois acontece de maneira natural e encantadora, eles acabam conversando sobre assuntos que não assumem para quem conhecem a anos, mas parece que abrir o coração é algo natural entre eles. O problema é que tudo que é bom dura pouco e a noite acaba, e ambos tem que voltar para a vida normal. “Eu fico parado, absorvendo o som de seu nome, absorvendo o olhar