Pular para o conteúdo principal

Três Coroas Negras - Resenha


Eu normalmente falo de fantasia por aqui, certo?! É porque eu realmente respiro livros de fantasia, mas há um problema nisso... quando eu leio muitos livros desse gênero, em sequência, acabo caindo numa ressaca, porém eu sempre retorno para os braços da fantasia, é um tanto inevitável.
Mas dessa vez eu vim falar de uma fantasia que me curou da ressaca de fantasia. Oi? Isso mesmo, eu vim exaltar meu amor por "Três Coroas Negras", livro de fantasia, de Kendare Blake, que conseguiu reacender a chama da minha paixão em meio a uma ressaca, de tão incrível que a história é.

Eu não conhecia o livro, mas um amigo me disse que eu precisava ler. Fiquei um pouco intrigado — porque normalmente sou eu quem indico os livros para as pessoas. Desafiei que ele me convencesse a ler e, bom, ele conseguiu muito! Na verdade, eu preciso agradecer por ele ter me obrigado a ler o primeiro volume dessa série que promete acabar com algumas noites de sono.

Três Coroas Negras vai contar a história de três irmãs, futuras herdeiras da coroa. Porém, não basta ser filha de uma rainha, para ascender ao trono. Cada uma das irmãs possui uma característica sobrenatural. Katharine como envenenadora, Arsinoe como naturalista e Mirabella como elemental.

As irmãs foram separadas quando pequenas e então submetidas ao treinamento de suas dádivas, até que alcancem seus dezesseis anos, quando finalmente se reencontrarão para batalhar pela coroa, de onde apenas uma sairá viva e com o título de nova rainha.

Além de todo esse núcleo da batalha entre as rainhas, há um contexto de interesses políticos e sociais por trás de tudo. As rainhas promovem uma classe superior para sua linhagem, que já vem sido dominada pelos envenenadores há bastante tempo.

O que preocupa a todos é que apenas uma das rainhas está com sua dádiva desperta, próximo da chegada da batalha. As outras duas não estão indo muito bem em seus treinamentos.

O livro conta sobre as três irmãs, em capítulos intercalados, mostrando suas evoluções como personagens. Eu achei isso um ponto positivo por não deixar que o leitor tenha uma rainha favorita desde o começo, embora acredito que seja inevitável não torcer mais por uma delas, ao final desse primeiro volume.

Outro ponto que achei muito positivo foi o ritmo de leitura. Nada de fantasia lenta! Que foi essencial para destruir minha ressaca. O livro é daqueles que você lê em uma pegada, principalmente porque trabalha em cima da ansiedade pelo momento de encontro entre as protagonistas.

Alguns personagens secundários também são muito bem construídos e possuem papéis importantes na história. Eu acredito que a linha de romance tenha tentado fazer um paralelo com  a expectativa de batalha, mas que não deu muito certo, embora talvez isso tenha alguma influência maior nos próximos volumes. De qualquer maneira não chega a ser um pecado tão grave que me faça tirar algum ponto do livro.

Um livro sobre mulheres poderosas. A sociedade, a mitologia, a história toda é comandada por mulheres. A deusa, a rainha poderosa, a sacerdotisa. Sempre a mulher em papel principal e os homens em segundo plano. Sempre a rainha a ser coroada e o rei como consorte.

Blake apostou nisso e acertou em cheio, porque as garotas não perdem em nada sobre os livros de fantasia com protagonistas masculinos. Eu, inclusive, gosto muito de personagens femininas poderosas. Na verdade acho que todo homem gosta disso, pelo menos um pouquinho.

O leitor provavelmente criará várias teorias enquanto percorre as páginas, mas provavelmente tudo isso será desfeito. Há vários plot twists espalhados durante os capítulos, com um gigantesco no final, daqueles de infartar. O que não é um problema muito grande, porque a Globo Alt foi muito eficiente em já ter lançado o segundo volume em uma ótima velocidade.

Leiam e amem essa série juntamente comigo, depois venham aqui deixar suas teorias nos comentários, porque eu tenho certeza que você também terá várias delas anotadas! Em breve voltarei com a resenha de "Um Trono Negro".

Avaliação:

Ficha Técnica
Título: Três Coroas Negras
Autor: Kendare Blake
Editora: Globo Alt
Páginas: 304

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Eleanor & Grey - Resenha

Oi Povo, tudo bem? Todo mundo que acompanha o blog sabe que sou mega fã de Brittainy C. Cherry, então quando vi que a caixa do “clube da Carina Rissi” vinha com o livro “Eleanor & Grey" e os marcadores de todos os livros da autora lançado aqui no Brasil, fiquei LOUCA. Graças ao bons Deuses dos livros, a Editora disponibiliza a caixa de maneira avulsa e consegui comprar essa lindeza! Rsrs. Sabe aquele tipo de livro que quando você termina, seus pensamentos são: “Obrigada Deus por eu amar ler! Obrigada por livros assim! Que lição de vida! Que autora maravilhosa!!". Quando terminei mandei uma foto da minha cara inchada de tanto chorar para Helyssa (voocomlivro) e Anastacia (notasliterarias_), falando que não estava sabendo lidar com tantos sentimentos. Eleanor, é uma adolescente que ama ler, não é muito social e ainda usa aparelho nos dentes, essa junção é o bastante para chamarem ela de esquisita ou sorriso metálico. Ela nem liga muito para esses comentários, Eleano

Talvez Agora - Resenha

  Oi Povo, tudo bem? Hoje vamos falar de "Talvez Agora”, que é continuação de "Talvez um dia” de Colleen Hoover lançado no ano passado pela Galera Record. Sou muito fã da autora e quando terminei “Talvez um dia”  fiquei sem saber o que fazer da vida porque eu não estava acreditando que a história terminava daquela maneira. Fiquei tão revoltada que comprei “Talvez Agora” no lançamento, mas levei meses para criar coragem e voltar para aquele universo. Vocês também são assim? HAHAHA. Espero sinceramente não ser a única!! HAHAHA. Ridge e Sydney, depois de tanto tempo, estão namorando. Sydney finalmente se sentiu segura para começar algo mais com Ridge. Ele por sua vez parece estar nas nuvens porque finalmente eles poderão viver um amor sem culpa e do jeito que sempre sonharam. Porém, isso não significa que tudo vai ocorrer nas mil maravilhas, afinal Ridge e Warren são as únicas pessoas no mundo que Maggie pode contar, e esse detalhe pode mudar tudo.  Maggie sabe que tem fibrose c