Pular para o conteúdo principal

As Quatro Rainhas Mortas - Resenha


Oi Povo, tudo bem?
Hoje vamos falar de “As quatro Rainhas Mortas” da autora Astrid Scholte lançado pela Galera Record. Confesso que a primeira coisa que chamou a minha atenção para esse livro foi a capa que está simplesmente deslumbrante. A segunda coisa foi o título que me deixou com uma imensa pulga atrás da orelha e a terceira, uma das quatro rainhas se chama Iris, queridos, eu tinha que ler! Hahaha.

O continente de Quadara, é governado por quatro rainhas e cada uma delas é responsável por seu próprio quadrante. Eles são:

Archia que representa a parte fértil da terra, de onde sai todo o alimento que sustenta o continente. Sua rainha é Iris, extremamente decidida, pensa ao máximo na preservação do solo e os costumes humildes do seus habitante. É descrita diversas vezes na leitura como uma pessoa cabeça dura, mas com um coração enorme e extremamente leal.

“Confie apenas no que pode ser empunhado com a mão e coração.”

Eonia representa toda tecnologia e controle de emoções. Nenhum morador desse quadrante deverá ter emoções descontroladas, ou exerce função diferente da que foi ordenada. Sua rainha é Corra, conhecida por ser calma e tomar decisões da maneira mais lógica pode poderia haver, ela é considerada o oposto da explosiva Iris.

“Uma mente turbulenta gera tempos turbulentos. Uma mente pacífica é prenúncio de paz.”

Toria é parte de conhecimento e estudo do continente. Todos os moradores deste quadrante são curiosos e tem “sede de conhecimento”.  Sua rainha é Marguerite, a mais antiga das rainhas no poder. Por ser a mais antiga, ela conhece bem as três meninas que chegaram depois ao castelo e tem um amor de mãe por elas.

“Conheça todas as coisas, e você compreenderá o todo.”

Ludia é o quadrante da arte, cultura e diversão. A maior obrigação dos moradores deste quadrante é fazer arte e se divertir. Sua rainha é Stessa, a mais jovem das rainhas e com um temperamento leve e muitas das vezes irresponsável.

“A vida é para foliões de olhos e coração abertos.”

As rainhas governam seus quadrante sempre respeitando as leis das rainhas, se uma delas desrespeitarem essa lei seu destino é a morte. Como você querido leitor já deve imaginar, num castelo que é governado por quadro mulher de temperamento forte, o que não falta é treta e segredos! Rsrs.

Uma personagem que não posso deixar de comentar é a Kelarie, não vou entrar em muito detalhes, mas devo dizer que ela tem um papel fundamental no enredo. Aprendemos com ela que com força de vontade tudo pode ser mudado. Super indico a leitura, li o livro em apenas 2 dias, pois não conseguia parar de ler. Para quem ama fantasia é uma ótima dica. Para quem sair da zona de conforto e ler outro gênero também é uma ótima escolha!! :D

Avaliação:
Ficha Técnica
Título: As Quatro Rainhas Mortas
Autor: Astrid Scholte
Editora: Galera Record
Páginas: 392

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Indomável - Resenha

Oi Povo, tudo bem? Hoje vamos falar de "Indomável", último livro da trilogia "Damas Rebeldes", da autora Julia Quinn, lançado pela Editora Arqueiro. Finalmente cheguei no livro de William Dunford! HAHHAA. Ele aparece nos livros anteriores " Esplêndida " e " Brilhante ", e deixa nós leitores apaixonados e doidos para conhecer ainda mais esse personagem libertino tão charmoso! HAHAHA. Ele fica completamente chocado quando descobre que herdou um título e uma propriedade na Cornualha. Dunford, viaja imediatamente para conhecer a propriedade que ele herdou, o que ele não imaginava é que encontraria uma mulher administrando a propriedade e que ela se tornaria sua responsabilidade junto a herança do título.  "Belle bateu palmas. Que fantástico! Dunford acabara de receber uma herança inesperada. Ela torcia para que fosse algo bom. Uma de suas amigas tinha acabado de herdar, a contragosto, 37 gatos. " Pág: 12. Henrietta Barrett, ou apenas Henry,

Long Shot - Resenha

  Oi Povo, tudo bem? Hoje vamos falar de “Long Shot” primeiro livro da série Hoops, da autora Kennedy Ryan, lançado pela Editora The Gift Box. Esse livro mexeu tanto comigo que demorei meses para me sentir segura em escrever essa resenha. A história de August e Iris, é muito surpreendente, mas isso não significa que ela é leve. Minha xará passa por cada situação que nenhum ser humano deveria passar, mas ainda bem que existem pessoas como August. Ele é simplesmente sensacional e ela é uma mulher extremamente forte. Deu para perceber que me encantei pelo casal, né? Rsrs. Iris e August se conhecem num barzinho de um hotel e a conversa dos dois acontece de maneira natural e encantadora, eles acabam conversando sobre assuntos que não assumem para quem conhecem a anos, mas parece que abrir o coração é algo natural entre eles. O problema é que tudo que é bom dura pouco e a noite acaba, e ambos tem que voltar para a vida normal. “Eu fico parado, absorvendo o som de seu nome, absorvendo o olhar