A Qualquer Custo (Hell or High Water) - Filme

3 Comentários A+ a-

Oi pessoal! Tudo certinho?

Como vocês sabem o Fadas faz parte do grupo Aliança de Blogueiros, e foi através dessa parceria que tivemos a oportunidade de ir na cabine de imprensa do filme A Qualquer Custo do diretor David Mackenzie, que apesar de ser um pouco desconhecido para mim (Priscila), conseguiu  fazer um excelente trabalho, bastante sólido, com muita criatividade e imaginação envolvida em um cenário improvável de faroeste americano. No qual, ele  demostra ser astuto e com uma grande dose de paciência ao estabelecer os  planos de fundo e o tom da narrativa - que, aliás, são muito bons - onde Mackenzie conseguiu expressar  total originalidade em sua direção.

A Qualquer Custo conta a história de dois irmãos, o ex-presidiário impulsivo e explosivo Tanner (Ben Foster, de Os Indomáveis), e pelo cérebro por trás da dupla, que sempre segue as regras, Toby (Chris Pine, da franquia Star Trek), e ainda um pai divorciado com dois filhos. De maneira que ambos acabaram de perder um ente querido e se veem preste a perder, também, a fazenda da família localizada em West Texas, e logo decidem realizar uma série de assaltos à várias filiais de um banco do Texas, como uma chance de recuperarem o legado da família e se restabelecerem financeiramente.
Só que durante o processo a dupla chama a atenção do veterano e astuto ranger Marcus Hamilton (o vencedor do Oscar Jeff Bridges), um texano obstinado e prestes à se aposentar, que passa a seguir implacavelmente os passos da dupla, o qual tudo fará para solucionar os crimes e capturá-los.

Além disso, o filme  mostra a distância entre dois personagens e a sombria relação construída no passado entre eles e ainda demostra a esperança de Toby em restaurar a relação perdida, enquanto Tanner não tem vontade e nenhuma fé em modificar esse status.

Desta forma, toda ambientação de A Qualquer Custo remete à um faroeste moderno, gênero considerado como o mais americano do mundo do cinema. Acrescentado disso, o longa conta com características muito particulares do estado texano que são essenciais para narrar a história, seja pelos aspectos visuais como as paisagens desérticas e amplas, quanto dentro da cidade ou até ainda pelo o costume da população desse estado em particular tem em andar sempre armado,e também o tom mais áspero no modo de tratar as pessoas, tudo isso aliado remete à essa temática.

No entanto, mais do que só retratar o estilo de vida do Texas o roteirista Taylor Sheridan apresenta uma análise sútil desse lugar perdido no tempo em meio a múltiplas placas de vende-se e seu estado arruinado de empobrecimento devido boa parte à crise financeira e uma América falida. Assim, é neste ambiente que são situados personagens clássicos do faroeste e dois anti-heróis que, por mais que estejam assaltando bancos, todos os seus atos são justificáveis para um bem maior, já que nem sempre é errado roubar de um ladrão.

Mais uma vez, Ben Foster rouba todas as cenas em que participa na produção, assim como fez em  Os Indomáveis, sua performance de Foster é vibrante e única fazendo, com isso, a performance de Chris Pine seja apagada pelo caminho. 

Já Jeff Bridges é extremamente competente e habilidoso. Além disso, vale destacar também a ótima trilha-sonora da produção de  Nick Cave, em parceria com Warren Ellis, apesar de não ser fã de carteirinha desse estilo musical, mas por mais surpreendente que possa parecer me peguei por diversas vezes cantarolando e desejando secretamente por mais, sem deixar de fora a tradicional sacudidinha de cabeça.

O  filme é engraçado, empolgante e trata de temas importantes e super atuais como o racismo retratado por Bridges, o porte de armas e a tão temida crise financeira que também chegou a atingir a grande potência. De certo, acredito que Bridges e Foster, além do filme e roteiro têm grandes chances de serem indicados ao Oscar em diversas categorias, e realmente torço para que isso venha a acontecer.

Apesar de não ser tão fã de faroeste, eu (Priscila) sou obrigada a reconhecer a qualidade em cada detalhe dessa produção que me impressionou do início ao fim por ser tão minimalista e detalhista, onde oferece ao espectador um verdadeiro mergulho nesse intenso universo e ainda faz com que fiquem divididos entre qual o lado deve ser escolhido. Definitivamente, tenho tendências a escolher os foras da lei e nesse longa foi exatamente o lado que escolhi. Então convido todos os cinéfilos de plantão e os adeptos para assistirem a esse filme incrível e fantástico, escolham um lado e não esqueçam aquela pipoca gigantesca como acompanhamento. Bom filme !


Ficha Técnica:

Estreia: nos cinemas brasileiros no dia 02  de Fevereiro  de 2016
Título Original: Hell Or High Water
Distribuidor: California Filmes
Direção: David Mackenzie
Nota: 9.0, quase um cinco estrelas
Elenco: Chris Pine, Ben Foster, Jeff Bridges, Gil Birmingham, Dale Dickey, Buck Taylor, Marin Ireland, Katy Mixon, Kevin Rankin, Melanie Papalia, Dylan Kenin, Gregory Norman Cruz







Trailer:



3 comentários

comentários
20 de janeiro de 2017 11:56 delete

Sua resenha ficou fantástica, super completa! Eu não sou nem um pouco fã de filmes de faroeste, maaas como nem você gosta, e ainda assim achou o filme bom, talvez eu dê uma chance também!

xx Carol
http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

Responder
avatar
20 de janeiro de 2017 14:08 delete

Ben Foster é o cara! Queria muito ver esse filme...parece ser bem interessante com fotografia muito bem feita! ^^
Beijos,
Monólogo de Julieta

Responder
avatar
22 de janeiro de 2017 20:35 delete

Olá,
Eu curti esse filme, mas achei que aconteceu tudo rápido.
E fiquei triste pelo Chris Pine, que finalmente fez um filme decente, e ninguém deu trela pra ele haha

tenha uma ótima semana =D
Nana - Obsession Valley

Responder
avatar