23 de junho de 2018

Espada de Vidro - Resenha

Queridos leitores,

sinto muito pela gafe, escrevendo a resenha de A Prisão do Rei me toquei que não havia escrito a do segundo volume. Sinto muito por fazê-los esperar, mas o importante é que a série inteira vale a pena, então comprem logo todos e não esqueçam do livro extra  (Coroa Cruel) com dois contos marcantes.

Chega de enrolação né, Victoria começa Espada de Vidro bem onde A Rainha Vermelha terminou. A confiança é algo a ser conquistado e difícil de se manter, Mare Barrow confiou nas pessoas erradas, foi cruelmente usada e agora precisa fazer algo a respeito. Depois de fugir do Maven, ela precisa procurar outros vermelhos, que como ela se descobriram diferentes, alguns foram mortos por prateados e outros fugiram, um desses é o próprio irmão, Shade.

Um braço me envolve com força ao perceber meu desconforto. Shade. Ainda não consigo acreditar que meu irmão está aqui, vivo — e, ainda mais estranho, igual a mim. Vermelho e prateado, e mais forte que ambos.

Nesse segundo volume temos uma vibração bem diferente do primeiro, ele tem um quê mais sombrio, te faz enxergar melhor uma guerra real, onde a esperança é escassa, coisas horríveis acontecem e tem cenas fortes. Nossa protagonista passa por muita coisa, e depois da mágoa e dor da traição vem a revolta, e ela escolhe crer que TODOS TRAEM TODOS, e isso me irritou em vários momentos da leitura. No entanto, gostamos mesmo é daqueles personagens que cometem erros e sofrem sim, mas utilizam isso para aprender e crescer mais e mais a cada momento da história, e essa é Mare Barrow, que apesar da desesperança e da sombra de Maven, se supera, tudo que ela passa nesse livro a transforma em uma mulher nova e muito diferente da menina do início de A Rainha Vermelha.

Temos uma grande evolução de outros personagens, além de Mare, e gostaria de ter lido a visão de alguns deles no decorrer da leitura.

 * Farley sempre uma líder destemida e determinada, mas que ao lado da garota elétrica perde um pouco da liderança para a vermelha, e terá mais provações do que eu gostaria que ela passasse;

 * Kilorn mais corajoso do que eu imaginava, e começa a ter um papel importante na guerra

 * Cal, instável entre aliado ou inimigo, ele precisa superar muitas perdas nesse momento, cresce muito e precisa decidir onde se encontra a sua lealdade, e o seu coração;
Ele se inclina um pouco para a frente com o lábio retorcido, mostrando dentes retos e brancos. Sua expressão é tão agressiva e animalesca que penso que vou ver presas.
— Sou o seu rei legítimo, filho de uma família prateada secular — ele afirma, fervendo. — A única razão para você ainda respirar é o fato de eu não ser capaz de queimar o oxigênio desta cela.
 * Temos agora Shade e outros sanguenovos com poderes incríveis que serão resgatados no decorrer da leitura. Alguns precisam de proteção, enquanto outros se tornarão armas nessa batalha;

Termino com uma citação que leva a uma boa reflexão para a vida. Afinal meus queridos, nem toda história tem um final feliz.

— Julian...
— Ninguém nasce mau, assim como ninguém nasce sozinho. As pessoas se tornam más e solitárias, por escolha e circunstância. Esta última você não pode controlar, mas a primeira... Mare, temo muito por você. Fizeram muitas coisas com você, coisas que ninguém deveria ter de passar. Você viu coisas horríveis, fez coisas horríveis, e elas vão te transformar. Temo muito pelo que você pode acabar se tornando, caso faça uma escolha errada.
Eu também.


Avaliação:
Ficha Técnica
Título: Espada de Vidro
Série: A Rainha Vermelha #2
Autor: Victoria Aveyard
Editora: Seguinte
Páginas: 494

Nenhum comentário:

Postar um comentário

author
Se você: Cheira livros, se apaixona por personagens, sofre com eles como se fosse alguém da sua família, corre atrás de autógrafos, viaja para outro estado para participar da Bienal do Livro, adora um sebo, procura por eventos literários, entra na livraria para dar um livro de presente e sai com dois para você, então você está no lugar certo!